Municípios com baixa vacinação contra a poliomielite foram notificados a tomar medidas que ampliem a proteção das crianças. Em 24 cidades mineiras, o índice de cobertura não chega a 50% dos menores de 6 anos. Em todo o país são 312 localidades nessa condição, o que reforça o alerta contra a doença capaz de causar paralisia. 

O número preocupa pediatras e infectologistas, já que o vírus causador da enfermidade circula em outros países. Conforme orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS), a imunização deve atingir pelo menos 95% do público-alvo. A pólio foi erradicada no Brasil em 1990. 

A determinação para que a cobertura seja reforçada foi feita pelo Ministério Público Federal (MPF). Os prefeitos que descumprirem a solicitação poderão responder por improbidade administrativa. 

Dentre as medidas indicadas pelo MPF estão a ampliação do horário de funcionamento dos postos e o rigoroso cumprimento do Calendário Nacional de Vacinação. Segundo a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Drupat, “a estratégia deve ser adotada em curtíssimo prazo”.

Em meio às cobranças para a adequação das metas, um novo problema foi detectado: a desatualização dos dados no sistema. Responsabilidade dos municípios, os números estão subnotificados. É o que acontece em Paraguaçu, no Sul de Minas. O Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde, mostra que apenas 2,53% das crianças da cidade foram protegidas contra a paralisia infantil. 

A prefeitura, porém, afirma que 95% dos menores de 1 ano e 78% dos que têm até 5 estão vacinados. “A gente está com o sistema informatizado e os dados estão incorretos. A correção já foi feita, até com a ajuda do governo do Estado, mas os números ainda vão cair no sistema do governo federal”, justificou a secretária de Saúde de Paraguaçu, Viviane Schiabel.

O Ministério da Saúde confirmou o problema e, inclusive, reforçou a cobrança feita pelo MPF para que os municípios atualizem os cadastros. “Os estados e municípios, que têm sistemas próprios on-line, devem fazer a migração para o SI-PNI”, informa nota enviada. “Caso haja divergência, cabe aos gestores locais informar ao Ministério da Saúde para correção”, afirmou a pasta.

A Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite vai acontecer de 6 a 31 de agosto. As doses da imunização estão disponíveis em todos os postos de saúde do país

Cobertura em Minas

Em Minas, o último caso de poliomielite aconteceu em 1987.Também por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) disse que várias ações têm sido adotadas para aumentar a cobertura vacinal. 

Dentre elas, a realização de videoconferências e capacitações nas 28 regionais de saúde, repasses financeiros para estruturação de salas de vacina que já funcionam nos postos municipais e parcerias com escolas estaduais. Além disso, de 6 a 31 de agosto será realizada a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e contra o Sarampo.