Após o encontro de mais de 500 caudas de gatos e cães em terrenos vagos de São Lourenço, na região Sul de Minas Gerais, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus Tratos aos Animais, da Câmara dos Deputados, também vai investigar o caso.
 
Exames periciais constataram que os rabos pertencem a cães e gatos. A Polícia Civil está entrevistando moradores da cidade e também busca informações em cidades vizinhas.
 
O requerimento, aprovado nessa terça-feira (25), foi feito pelo deputado federal Laudívio Carvalho (PMDB/MG) e a visita está agendada para a próxima sexta-feira (28). Durante a inspeção em São Lourenço, os deputados irão à delegacia de Polícia Civil e a unidade municipal de vigilância sanitária, onde estão as provas da investigação. 
 
Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o delegado Marcelo Junqueira Neves, responsável pela investigação, ainda não há pistas dos autores dos descartes de rabos ou do restante dos corpos dos animais. A investigação trabalha com duas teorias: Para fins de alimentação ou em rituais de seitas religiosas. 
 
Uma das preocupações de moradores da cidade era que a carne dos animais tenha sido usada em uma festa em São Lourenço, realizada entre 31 de julho e 11 de agosto. No entanto, a Vigilância Sanitária Municipal descartou a hipótese, uma vez que, por meio de análise, os rabos foram cortados entre 48 e 72 horas antes da localização dos mesmos, período não compatível com o da festa. Ainda assim, o órgão está em alerta para estabelecimentos, como açougues, por exemplo.