Já parou pra pensar em como o mundo está em constante movimento? E que os facilitadores das novas tecnologias surgem com tanta rapidez que atingem todos os campos das nossas vidas? É neste sentido que as tecnologias de realidade virtual e aumentada (AVR) aparecem como tendência em todas as áreas, inclusive a da educação. Para se ter uma ideia, já é possível estudar um idioma com o apoio do AVR. 

O uso dessa tecnologia disruptiva em métodos de ensino garante um processo de aprendizagem acelerado e uma maior fixação do conteúdo exposto, além de um estudo mais interativo e dinâmico. O material em AVR foi desenvolvido pelo departamento de pesquisa e desenvolvimento pedagógico do Uptime Group em parceria com a EON Reality, empresa líder mundial em realidade virtual e aumentada.

Para o desenvolvimento desse material, a EON Reality reuniu profissionais especializados das áreas de programação, artistas em 3D, animadores, designers de interação e de áudio, e até produtores de cinema, tudo para trazer a realidade para os estudos dos alunos. É a partir desse trabalho minucioso que a Uptime está combinando os benefícios de sua metodologia de ensino, que aceleram o aprendizado dos alunos através da neurolinguística e mnemônica, com os benefícios de aprendizagem das aplicações AVR, que melhoram a memória atingindo mais dos nossos sentidos. O resultado é uma experiência única do aluno, que acelera o aprendizado e melhora a memória.

“Ao participar desta imersão para o estudo em casa, o aluno passa a fazer parte de um processo de aprendizagem acelerado, contextualizado. A AVR incrementa em 12 vezes essa transferência de aprendizagem”, explica José Alves de Castro Júnior, diretor de pesquisa e desenvolvimento do Uptime Group.

ENTENDA!

A realidade virtual é uma tecnologia de interface que possibilita a imersão do usuário em um ambiente simulado, através do uso de displays como óculos e headsets que induzem efeitos visuais, sonoros e, às vezes, táteis. Para utilizá-la, é preciso um usuário, um software, um headset e, em alguns casos, um smartphone. Deste modo, com um smartphone que rode um aplicativo em que a tecnologia VR esteja disponível, acoplado a um headset que possibilite um display na frente dos olhos, é possível criar, em tamanho real, um ambiente tridimensional diante dos olhos.

Já a realidade aumentada, é uma tecnologia que une objetos do mundo virtual a outros do mundo real. Dessa forma, as realidades digital e concreta coexistem, gerando uma maior interação do indivíduo com um universo que está fisicamente fora do seu alcance.

Para utilizar a AR, você precisa também de smartphone, um código e um software (aplicativo) que leia esse código. Dessa forma, a realidade aumentada acontece em quatro passos: primeiro é preciso encontrar o código que vai ser lido e posicioná-lo; em seguida, o aplicativo que é capaz de decodificar a figura deve ser aberto; posteriormente, posicione a câmera na direção do código e, por fim, é formada a imagem virtual 3D que mescla com o mundo real.

Ambas as tecnologias passaram a ter outras aplicações, além da indústria de games e da área de educação. As áreas da saúde, do esporte, da engenharia e do marketing também estão se adequando conforme o desenvolvimento e ampliação do sistema AVR. E Assim como foi com a internet, a tendência é que a realidade virtual e aumentada promova uma mudança de comportamento. As suas aplicações na vida cotidiana estão crescendo e inovando diferentes mercados.