Faltando pouco menos de dois meses para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será aplicado em 5 e 12 de novembro, muitos candidatos reforçam o ritmo de estudo para garantir uma boa preparação na reta final. Mas é preciso atenção. Estudar de forma mais planejada e tranquila, buscando melhorar o desempenho e sem exageros são as dicas dadas por especialistas.

Para não ficar ansioso e aproveitar melhor o tempo, a orientação é focar na revisão de conteúdo e nos possíveis temas da redação. É o que segue Lucas Tadeu Gonçalves, de 19 anos, que pela segunda vez irá fazer as provas visando uma vaga para medicina.O jovem decidiu se concentrar em exercícios e simulados on-line. No primeiro semestre ele estudou por conta própria. Em junho, matriculou-se em um pré-vestibular. “Estou focado em corrigir e aprimorar o que for preciso”.

“O vestibular é o retrato da história acadêmica, mas o candidato não pode encarar a prova como uma questão de vida ou morte” (Aleluia Heringer, diretora do Colégio Santo Agostinho, em Contagem, na Grande BH)

Terceira tentativa no Enem, Estevão Fernandes, de 21 anos, aprendeu a dosar horas de estudo e descanso, mesmo mantendo uma rotina intensa. “Tenho aula de manhã, vou na academia no almoço e fico no cursinho à tarde”, diz o jovem que também busca uma vaga em medicina.

Dificuldade

Para quem começou a se preparar agora, o professor de redação Marcelo Batista, da Qualoo Escola Criativa e Determinante Pré-Vestibular, recomenda reforçar as disciplinas que mais tem dificuldade. Nesse caso, é interessante direcionar o estudo nos assuntos mais comuns das provas anteriores, através de simulados e exercícios e fazer uma redação por semana.

Ele diz, ainda, ser preciso atentar-se aos sinais de fadiga. “O corpo e a mente mostram quando diminuir o ritmo. Se apresenta cansaço e ansiedade, é melhor ficar mais tranquilo. Na semana da prova pare para descansar”.

Alguns candidatos acreditam que a aplicação dos testes do Enem em dois fins de semana aumenta a ansiedade. “Tem um tempo a mais para estudar, mas ficar na expectativa é ruim”, diz Victor Vaz, de 23 anos. O rapaz almeja entrar para a faculdade de educação física. 

Prioridade

Os candidatos que já cursam outras graduações também tentam o equílíbrio nos estudos. Insatisfeito com o curso de engenharia civil, Otávio Bergamini, de 22 anos, tentará uma vaga para direito. Ele largou a faculdade para ter mais tempo para estudar para o exame nacional. 
Já Victor Vaz afirma dividir o tempo de preparação para o vestibular com a faculdade de direito. “O ritmo é pesado, mas a prioridade é o vestibular”.

Na palma da mão, tecnologia pode ajudar durante a preparação para as provas

Aliando aprendizagem e tecnologia, aplicativos para celular e sites na internet prometem ajudar e potencializar os estudos. 

Diretora do Colégio Santo Agostinho, em Contagem, Aleluia Heringer diz que essas ferramentas ajudam muito a treinar não apenas as questões. “Mas também o sistema do Enem, de teoria de resposta ao item, além de melhorar a noção de tempo de prova”, observa. 

Gratuitos, plataformas como EstudaVest e AppProva são opções. O primeiro auxilia no preparo para o exame e disponibiliza simulados e um banco de questões dos vestibulares de várias universidades. Já o segundo permite ao aluno acompanhar o desempenho dele em relação aos demais usuários do aplicativo.

Redação

O “Aprendi Com o Papai”, desenvolvido pelo professor Marcelo Batista, é voltado para a redação. O sistema reúne mais de 130 temas, com preços de R$ 3 a R$ 5 por texto, e permite ao estudante enviar materiais para serem corrigidos por especialistas. O docente destaca que o aluno, agora, está na fase de revisar o conteúdo aprendido ao longo do ano e ler assuntos gerais e atualidades, que podem ser temas da prova textual, que vale mil pontos.

Para estar mais preparado, o estudante Lucas Tadeu Gonçalves afirma que lê bastante, principalmente sobre temas atuais. Mas para chegar no dia do exame com o texto perfeito, recorre ao aplicativo. “Ele é bem funcional e dá para ter um acompanhamento legal sem ter que sair de casa, e, com o temporizador, me ajudou a prender a controlar o tempo para o dia da prova”, conta.

Para alguns alunos, a aplicação da redação no mesmo dia do teste de linguagens e ciências humanas foi benéfica.“A prova de humanas trata de temas que às vezes ajudam até na construção do texto, são provas muito interpretativas. No segundo dia você foca nos números”, opina o aluno Estevão Fernandes.