Vários países promovem campanha, nesta quinta-feira (14), para a divulgar a importância da doação voluntária de sangue. A Fundação Hemominas comemora este Dia Mundial do Doador de Sangue com apresentações culturais ao longo do dia, no hemocentro localizado na rua Ezequiel Dias, no bairro Santa Efigênia, e em outras unidades do interior.

Essa sensibilização sobre a importância da doação vale para pessoas com todos os tipos sanguíneos, mas há um grupo que merece uma atenção especial. Quem fica atento à divulgação do Hemominas nas redes sociais sobre os estoques do banco de sangue já percebeu que o tipo O negativo sempre está em nível crítico.

Mas por que é difícil manter o estoque de O Negativo em um nível mais alto? De acordo com a assessora da Gerência de Captação de Doadores do Hemominas, Viviane Guerra, este é o tipo sanguíneo mais raro entre os brasileiros – apenas 5% da população.

Além disso, o tipo O Negativo é o mais demandado nas urgências dos hospitais, por ser o doador universal – qualquer pessoa pode receber sangue deste tipo sanguíneo sem que a saúde seja comprometida. “Imagina um paciente que chega em estado muito grave ao Hopistal de Pronto-Socorro João XXIII e teve uma imensa perda de sangue. Pode não haver tempo hábil para se fazer o exame sobre o tipo sanguíneo dele. Nesse caso, usa-se o O Negativo”, explica Viviane.

Momento crítico

Este é um momento de maior atenção na captação de doadores de qualquer tipo sanguíneo, pois o inverno se aproxima e muitos potenciais doardores acabam se envolvendo com a Copa do Mundo, deixando a doação em segundo plano. “Com a queda das temperaturas, sempre notamos uma diminuição no comparecimento dos doadores, porque as pessoas tendem a ficar mais em casa no frio e há maior ocorrência de doenças respiratórias. Tem ainda as férias de julho, quando muita gente viaja”, diz Viviane.

A Copa do Mundo mexe com todos os setores da sociedade brasileira e os hemocentros também devem ter os horários de funcionamento alterados nos dias de jogos da Seleção Brasileira. Essa alteração ainda não foi definida e deve ser divulgada no site do Hemominas em breve.

Quem pode doar?

Interessado em doar sangue? O agendamento pode ser feito pelo telefone 155 ou pelo site do Hemominas. Podem doar sangue pessoas entre 16 e 69 anos, bem alimentadas e saudáveis. O peso mínimo é de 50 quilos.

Sintomas comuns que impedem a doação

• Febre (pico isolado) sem outros sintomas associados: aguardar sete dias após a melhora do sintoma;

• Febre persistente de origem indeterminada: aguardar diagnóstico ou, no mínimo, três meses sem febre;

• Diarreia sem necessidade de uso de antibióticos: aguardar sete dias após a melhora dos sintomas;

• Gripe ou resfriado: aguardar sete dias após a melhora dos sintomas. Se associada à temperatura corporal igual ou superior a 38°C, aguardar 14 dias após a melhora dos sintomas.