Os drones poderiam ajudar a salvar a vida de pessoas que sofrem um ataque cardíaco, entregando desfibriladores antes da chegada de uma ambulância, de acordo com artigo publicado na revista médica Journal of the American Medical Association.

Ao reduzir o tempo de intervenção após uma parada cardíaca, a entrega do kit por drones pode aumentar as chances de sobrevivência das vítimas, afirma o estudo, realizado por pesquisadores suecos.

Testes com drones na Suécia mostraram que eles podem entregar um desfibrilador no local onde se encontra o paciente em média 16 minutos mais rápido do que um veículo tradicional de emergência.

Atualmente, pessoas que sofrem ataques cardíacos fora dos hospitais têm uma taxa de sobrevivência de 8% a 10% nos Estados Unidos.

Reduzir o tempo de acesso a uma desfibrilação – que reinicia o coração com um pulso elétrico – é um fator-chave para aumentar as taxas de sobrevivência.

O tempo médio para a chegada do drone aos locais foi de 5,21 minutos, contra 22 minutos de um veículo de serviços médicos de emergência.