Fazer Carnaval é lindo e empolgante, garantem os organizadores de blocos de rua de Belo Horizonte. Porém, colocar todos os custos no papel e pagá-los tiram o sono de qualquer um. A menos de um mês para a festa de Momo, os grupos já articulam formas de arrecadar a grana que falta para bancar os desfiles. Para isso, os ensaios, que estão a todo vapor, aparecem como alternativas.

A mobilização começa meses antes da folia. É o que está fazendo o ‘Quando come se lambuza’, que há cinco anos desfila pelas ruas da capital. A preparação vem desde outubro. Além dos ensaios, o bloco estuda propostas de patrocínio e vende produtos em uma loja. 

Mesmo com essas ações, o organizador do grupo, André Álvares, afirma ser ainda preciso arrecadar metade da verba para a realização do cortejo. Neste fim de semana, mais um ensaio com ingresso a R$ 20. “Na reta final, é a melhor opção para conseguir o dinheiro de forma mais ágil”, conta.

O Havayanas Usadas também optou pelos ensaios pagos, com entrada a R$ 10. “A preparação passa a ser semanal perto do Carnaval por questões de organização e afinação da bateria. Aproveitamos esse momento para arrecadar esse recurso final e colocar o bloco na rua”, explica o vocalista e um dos organizadores do grupo, Heleno Augusto.

Os blocos contemplados com apoio financeiro da Belotur serão conhecidos em breve; o montante de R$ 500 mil foi dividido em cotas de R$ 10 mil, R$ 7 mil, R$ 5 mil e R$ 3 mil para cada grupo inscrito na seleção encerrada nessa sexta-feira

Contribuição

Quem se preparou antecipadamente, como o ‘Alô Abacaxi’, consegue promover ensaios gratuitos nessa época do ano. Durante os eventos, explica Bruno Perdigão, um dos organizadores, são promovidas ‘vaquinhas’ para a captação do dinheiro.

No perfil nas redes sociais, o bloco sugere a contribuição de R$ 5 na hora do ensaio. A ideia é equilibrar as contas sem segregar o público que frequenta os encontros. “O nosso viés já é de apoio à diversidade. Não achamos condizente fazer essa seleção, mesmo cobrando um ingresso barato”, afirma Perdigão.

Apoio

Os blocos também terão uma ajuda de custo da prefeitura. Apoio financeiro a ser disponibilizado por meio da Belotur, em 2018, chega a R$ 500 mil.

Os interessados na subvenção puderam se cadastrar até essa sexta-feira. O resultado será divulgado em breve.