Depois de vários anos relatando dificuldades financeiras para colocar os foliões na passarela do samba em Belo Horizonte, escolas e blocos caricatos estão animados. Em 2018, a subvenção a ser disponibilizada pela prefeitura às agremiações será o dobro do que foi pago na folia passada. 

As escolas de samba irão receber R$ 75 mil de incentivo para a organização do desfile. Já os caricatos, R$ 37 mil. Com o montante, representantes dos grupos apostam, inclusive, no aumento de agremiações participantes. No ano passado, apenas quatro escolas de samba se apresentaram na avenida Afonso Pena. A expectativa em 2018 é a de sete grupos, além de dez blocos caricatos.

Presidente da Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova, Francisco Gonçalves defende a manutenção da passarela do samba. “Atualmente, a força do Carnaval em BH está nos blocos de rua. Porém, o desfile das escolas e caricatos é uma tradição que tentamos manter. A mudança no regulamento, o maior investimento e as melhorias na estrutura só tendem a melhorar a festa”, diz.

O pesquisador e enredista Felipe Marinho, que participa da festa momesca da capital há 14 anos, afirma que as escolas antigas precisam voltar. “Além do surgimento de novas. Quanto mais melhor”, frisa.

As escolas de samba e os blocos caricatos têm até 17 de janeiro para se inscreverem; os desfiles acontecem em 12 e 13 de fevereiro, na avenida Afonso Pena, no Centro da capital

Premiação

Edital publicado no último dia 6 deixou os representantes dos grupos apreensivos. A informação era a de que não haveria premiação em dinheiro para os vencedores neste ano. 

Porém, a Belotur corrigiu o dado e disse que serão concedidos valores de R$ 50 mil, R$ 25 mil e R$ 12 mil, respectivamente, para primeiro, segundo e terceiro colocados. O diretor de Eventos da Belotur, Gilberto Castro, garantiu que a errata será publicada no Diário Oficial do Município em breve.

“Não faria sentido acabar com a premiação em dinheiro. O valor também é uma motivação para nos prepararmos o melhor possível e competirmos pelo primeiro lugar”, ponderou a presidente da Escola de Samba Estrela do Vale, Maria Madalena Ferreira.

Escola de Samba Estrela do Vale Barreiro Carnaval
Barracões das escolas de samba que irão desfilar em 2018 na capital correm contra o tempo para finalizar os últimos detalhes

Regras

Conforme o regulamento de 2018, novos blocos caricatos e escolas não receberão o apoio financeiro.

No caso das escolas de samba, segundo o edital, as que participaram apenas uma vez do Carnaval de 2015 a 2017 devem retornar ao grupo de acesso. Os grupos receberão R$ 37,5 mil de subvenção.

As inscrições para os grupos interessados terminam em 17 de janeiro.