A segurança durante o Carnaval deste ano em BH, que promete ser o maior da história da metrópole, terá um incremento de 14% no número de militares nas ruas. De 9 a 14 de fevereiro, 8 mil policiais irão desempenhar as atividades. No ano passado foram 7 mil. Cerca de 3,6 milhões de foliões devem curtir a festa.

O efetivo terá o suporte da tecnologia. Um sistema integrado possibilitará aos órgãos envolvidos nas ações acompanhar as ocorrências em tempo real. Alguns policiais poderão receber ou enviar alertas pelo telefone. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), a plataforma permite a verificação instantânea tanto de situações criminais, como brigas e roubos, quanto eventos como engarrafamentos e quedas de árvores.

O objetivo é agilizar a tomada de decisões da PM e de outras 15 instituições, como a Guarda Municipal, que também terão acesso à base de dados. Ao identificar alguma ocorrência, os agentes irão cadastrá-la no sistema para que seja visualizada pelos demais.

“É uma ferramenta que facilitará a operação das forças de segurança. Qualquer operador que tiver acesso e estiver na rua pode informar, por exemplo, um ponto onde há um bloco não cadastrado ou um ambulante ilegal. Ele será utilizado, primeiro, em grandes eventos da capital. Depois, pode ser incorporado em uma rotina diária”, explicou Leandro Almeida, superintendente de Integração da Sesp.

Na capital, o caminhão do Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, com seis câmeras com alcance de até 30 metros quadrados, ficará instalado na Praça da Estação, no hipercentro. Outras 600 câmeras do Olho Vivo, espalhadas pela cidade, irão ajudar no monitoramento. O policiamento também será ampliado para outros 45 municípios mineiros que terão eventos carnavalescos.

Cerco fechado

Na tentativa de inibir a ação de criminosos, a Polícia Civil irá fechar o cerco a pessoas que estiverem com mandado de prisão em aberto. Já nas rodovias estaduais e federais, 2 mil policiais realizarão blitze em cerca de 30 mil quilômetros de estradas. A iniciativa visa coibir motoristas embriagados ao volante.