Durante três dias, alunos de escolas e faculdades de BH discutirão assuntos históricos, atuais e futuros, relacionados ao mundo. A 7ª edição da Simulação das Nações Unidas (SNU), começou nesta sexta-feira (6) e vai até domingo (8), na Fundação Torino Escola Internacional. 

O projeto foi idealizado e realizado pelos alunos, simulando o ambiente diplomático da ONU. Os jovens vivenciam a rotina de diplomatas, defendendo a política externa em encontros de organizações internacionais. Entre os temas discutidos estão ‘’As invasões vikings na Inglaterra’’, ‘’Os desafios da flexibilização das leis trabalhistas na União Europeia’’, ‘’Escravidão moderna’’ e  ‘’Saúde mental’’.

Participantes

Nesta edição, cerca de 130 jovens participam das discussões. Além dos estudantes da Fundação Torino, jovens do Cefet, Santo Antônio, SEBRAE, UFMG, Colégio Naval do Rio de Janeiro, dentre outros, fazem parte do projeto. Além dos estudantes que estão envolvidos diretamente na simulação, outros participam do evento ajudando na organização e na produção de um jornal interno, que narra os acontecimentos do dia. 

“A simulação nasceu a partir de uma demanda dos alunos. A nova geração não se contenta mais apenas com as aulas frontais em classe, eles exigem dos professores e da escola novas dinâmicas educacionais, e a simulação da ONU se encaixa nesse perfil”, explica o professor de Geografia da Fundação Torino, André Cotta.

Programa

Esta edição conta com cinco comitês. O Comitê Bélico relembrará as invasões Vikings na Inglaterra, e os delegados se sentirão como verdadeiros personagens dessa grande guerra, decidindo o destino de seus povos no campo de batalha. Já o COE, Conselho Europeu, abordará a crise trabalhista e os desafios da flexibilização das legislações trabalhistas na União Europeia.

Na OIT, Organização Internacional do Trabalho, os delegados debaterão a “escravidão moderna”. Entre os tópicos abordados, está a escravidão trabalhista nos setores têxtil e agrícola, onde se concentra o maior número de vítimas dessa exploração.

No comitê da OMS, Organização Mundial da Saúde, a pauta será a saúde mental. Fenômenos como o jogo “Baleia Azul”, situações traumáticas em zonas de conflito e hospitais psiquiátricos com tratamentos considerados primitivos são alguns dos diversos itens abordados. Há ainda o MVNDI, comitê de imprensa da SNU, que tem o dever de reportar e cobrir todos os outros comitês.