Assaltantes voltaram a tocar o terror em cidades do interior de Minas. Ontem, instituições financeiras de quatro municípios foram alvos de ataques. Os roubos aconteceram em Gameleiras (Norte), Formiga (Centro-Oeste), Monsenhor Paulo e Alterosa (Sul). 

Os crimes se assemelham a outros já registrados nas últimas semanas no Estado. Novamente, bandos com armamento pesado e táticas para impedir a ação da polícia. Foi assim em Gameleiras, que tem apenas 5.140 habitantes. 

Com fuzis e espingardas, os suspeitos renderam um agente da Guarda Municipal que realizava o policiamento na região. Em seguida, a quadrilha invadiu as agências do Bradesco e dos Correios para explodir caixas eletrônicos e um cofre.

Na tentativa de inibir a presença da PM, os ladrões se dividiram. Parte deles cercou as ruas da cidade. “Enquanto outro grupo armava as bombas no banco, os demais atiraram para o alto”, contou o sargento Silvio. Por sorte, ninguém ficou ferido.

Após as explosões, os suspeitos fugiram em direção à zona rural da cidade de Porteirinha, também no Norte de Minas. Um veículo utilizado pelos criminosos foi encontrado.

Sul de Minas

A mesma estratégia foi utilizada por um grupo armado em Alterosa, no Sul do Estado. Sete suspeitos divididos em duas caminhonetes cercaram a cidade e explodiram o caixa do Banco do Brasil. Dois militares conseguiram interceptar a ação. Após troca de tiros, os assaltantes fugiram. 

Ainda no Sul de Minas, suspeitos usaram uma grande quantidade de explosivos e uma agência do Banco do Brasil pegou fogo em Monsenhor Paulo. No entanto, todo o dinheiro dos terminais acabou queimado.

Já em Formiga, no Centro-Oeste, uma agência da Caixa Econômica Federal foi atacada por um grupo de dez homens. Eles cercaram o estabelecimento. Após a ação, militares encontraram vários cartuchos deflagrados de fuzil na entrada da agência. Até o fechamento desta edição, ninguém tinha sido preso. 

Para tentar coibir essa onda de assaltos a bancos, a Polícia Militar quer unificar ações com outras forças de segurança. Segundo a corporação, além do aumento do efetivo nos destacamentos e investimentos em viaturas e armamentos, há ainda o trabalho em conjunto com as policiais de outros estados.

Além disso, a PM reforçou de janeiro a junho deste ano, foram 83 ataques a caixas eletrônicos em Minas. No mesmo período de 2016 foram 127 ocorrências, uma redução de 34%.

A Polícia Civil também informou que trabalha em conjunto com as demais forças de segurança e da Justiça para combater os crimes. Um grupo de estudos também tem traçado várias estratégias.