Pela primeira vez, o ex-estudante de Direito Frederico Flores, acusado de ser o líder do "Bando da Degola", rompeu o silêncio e confessou o assasinato de dois empresários no bairro Sion, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. O crime ocorreu em 2010 e o julgamento acontece nesta quinta-feira (12) no Fórum Lafayette, na capital.

Flores assumiu o crime e disse que está arrependido. "Eu me declaro culpado, mas não tenho lembranças e certeza para responder detalhes", disse ao juiz  juiz Glauco Fernandes. O acusado ainda se referiu às famílias de Fabiano Ferreira Moura e Rayder Santos Rodrigues, que foram extorquidos e decapitados. "Quero fazer qualquer coisa para reparar as famílias. Não estou arrependido por estar preso", revelou.

Para o ex-estudante, o período que está passando na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, estaria servindo para que ele pudesse repensar sua vida. "Estou feliz por estar preso. Deixei as drogas e me encontrei com Jesus e não preciso mais de remédios. Enxergo tudo com clareza, estou arrependido porque fiz coisas horríveis e peço perdão às famílias", afirmou. Por causa da declaração, tanto a acusação quanto a defesa dispensaram o interrogatório de Flores, o que irá adiantar a fase de debates entre as partes.

(*) Com informações de Danilo Emerich