De um lado, aprendizes de cozinheiro ávidos por conhecimento. De outro, um expert em gastronomia que já viajou o mundo e contabiliza nada menos do que 36 anos por trás dos fogões. Chef de cozinha renomado, professor em uma das escolas mais respeitadas do mundo, The Culinary Institute of America (CIA), o brasileiro radicado nos Estados Unidos Almir da Fonseca está de passagem por Belo Horizonte.

Por aqui, ele compartilha não só as experiências adquiridas desde que trocou a biologia marinha pela culinária. Ensina quem deseja aprender. O tour pelo país de origem faz parte do Brazil Project – projeto de 28 anos que tem como objetivo principal esmiuçar a palavra sustentabilidade.

“Nove entre dez chefs não sabem cortar um porco ou uma vaca completos, 75% dos estudantes de gastronomia graduados em escolas do mundo todo deixam a cozinha em menos de cinco anos. Nossa meta é proteger a carreira de chef para que as pessoas se graduem e mantenham-se no ofício. Estudar é fundamental. Aprendizado é infinito”, comentou, enquanto comandava as panelas da cozinha das Faculdades Promove de BH.

A instituição, no bairro Prado, região Oeste, foi uma das premiadas com a visita do carioca. O convidado inaugurou ontem a Cozinha Show do estabelecimento de ensino, um espaço voltado para aulas práticas do curso de gastronomia e para apresentações de chefs.

O resultado da experiência no Brasil – Maringá, Curitiba e Rio de Janeiro também serão visitadas –, compartilhada por outros dois chefs da escola norte-americana enviados a países da Ásia e América Central, será conhecido na próxima edição do World’s of Flavor – uma das conferências internacionais mais influentes do mundo, prevista para a primavera de 2018.

Sonho realizado

Estudante do 1º período de gastronomia no Promove, o garçom Marcos Henrique Alves Ferreira, de 37 anos, nunca imaginou dividir a mesma cozinha com um chef tão famoso. Que dirá a mesma panela. “É uma sensação única tê-lo ao nosso lado passando tanto conhecimento técnico, de igual para igual”, comentou o rapaz sem esconder a satisfação da experiência. 

Prestes a concluir o curso, daqui a dois meses, Rafael Fernandes, de 24 anos, aluno do 5º período, também não disfarçava a empolgação de passar uma tarde inteira ao lado do chef internacional. “É minha primeira experiência com um profissional famoso”.

Ao lado dos estudantes, do coordenador do curso de gastronomia da faculdade, Jackson Cabral, e da chef Cidinha Lamounier, professora na instituição, o chef Almir da Fonseca preparou bambá de couve, peito de frango com creme de milho, lentilhas com costela defumada, couve-flor de forno e farofa, além de bolo cremoso de milho e doce de queijo mineiro. Os quitutes foram degustados por convidados.

PRESENÇA DE PESO - Chef internacional (de avental preto) compartilhou conhecimento com os alunos de gastronomia da Faculdade Promove de BH, no bairro Prado

Confira galeria de imagens: