Veículos reforçam atendimento à saúde

Exatos 168 novos veículos irão reforçar o atendimento à saúde em 143 municípios de Minas Gerais. Trinta e sete minivans, 42 ambulâncias e 89 carros convencionais foram adquiridos pelo governo por meio de emendas parlamentares provenientes de deputados estaduais. Os investimentos passam de R$ 10 milhões.

A entrega dos carros foi feita durante solenidade ontem no Palácio da Liberdade, na região Centro-Sul de Belo Horizonte. Do total, 37 foram doados pela Secretaria de Estado de Governo e outros 135 pela pasta da Saúde.

O governador Fernando Pimentel destacou a importância de ações como essa. “Às vezes, quem vê acha que é coisa pequena. Mas quando chega no prefeito, ele fala que é a coisa mais importante do mundo para a cidade”, comentou.

Desde 2015, cerca de 400 localidades mineiras com menos de cinco mil habitantes foram beneficiadas com a entrega de veículos para o atendimento à saúde. 

Pimentel disse que muitos desses municípios não têm, por exemplo, um hospital para acolher a população. Nesse sentido, a importância de contar com equipamento de transporte para encaminhar pacientes a outras unidades de saúde.

Destaque

Para o prefeito de Capinó-polis, Cleidemar Zanuto, a iniciativa abrange quem, de fato, precisa dos serviços. 

Já o deputado estadual Dirceu Ribeiro reforçou a importância da ação para atendimento às prefeituras mineiras. “Esses veículos são uma relevante ferramenta de trabalho e contribuirão para o transporte de muitos mineiros”, explicou.

Viagem

O governador Fernando Pimentel se reunirá hoje, em Recife, com governadores da região Nordeste do país para discutir a cobrança junto ao governo federal do repasse de 20% da parcela que cabe aos estados da Desvin-culação das Receitas da União (DRU). 

As unidades federativas também querem que sejam apurados os valores que deixaram de ser enviados nos últimos cinco anos, abatendo-os das dívidas com o governo federal.

Segundo Pimentel, 17 estados aderiram à ação. “E o Nordeste inteiro agora vai entrar também. É absolutamente ilegal o que a União está fazendo. Tem muito dinheiro dos estados e municípios retido pela União, e nós queremos que esses recursos venham para cá”, reforçou o governador.