Três pessoas de 20, 22 e 27 anos foram presas e dois adolescentes de 17 anos apreendidos, nesse domingo (4), suspeitos de participarem da morte de um policial militar no bairro Parque São João, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime ocorreu na madrugada de sábado (3).

De acordo com a Polícia Militar, o soldado Rogerys Júnio Gonzaga dos Reis, de 22 anos, teria sido morto por se recusar a sair do carro. O policial estava no bairro para buscar a namorada que mora próximo a um aglomerado. Um dos suspeitos de 27 anos, não teria gostado que a vítima chegasse no local com os vidros do veículo fechados e com a luz interna do carro apagada. Indagado, o policial teria pedido desculpas, se identificado e explicado que estava buscando a namorada.

Horas depois, o policial voltou com a namorada. O suspeito teria determinado que ele saísse do veículo, com a recusa da vítima, o homem acabou atirando contra o carro do militar, que morreu na hora.
 

Arma usada para matar o policial estava escondida dentro de um filtro, na casa de um adolescente


O suspeito, que confessou o crime, foi preso no sítio da família da namorada dele, de 22 anos, na zona rural de Caeté, na região Central de Minas. A moça também foi presa. Após a prisão do casal, a polícia prendeu ainda o primo da suspeita, de 20 anos, que também teria participado da abordagem ao soldado.

Militares do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitana (Rotam), que fizeram a prisão do suspeito, informaram que dois adolescentes foram responsáveis por guardar a arma utilizada na execução e foram apreendidos. A pistola calibre 380 foi localizada dentro de um filtro na casa de um dos jovens.

Em sua defesa, o suspeito do crime disse que não sabia que a vítima era militar, e que pensou se tratar de um integrante de uma gangue rival ligada ao tráfico de drogas na região.  Todos os detidos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Contagem.