A Polícia Civil de Salinas, no Norte de Minas, investiga o crime de aborto forçado que ocorreu em Rubelita, na mesma região. O crime foi registrado nessa quarta-feira (20). Segundo o delegado responsável pelo caso, José Eduardo Santos, o suspeito de 30 anos teria obrigado a ex-namorada a ingerir comprimidos abortivos. “A vítima estava grávida e o ex-companheiro não queria que assumir a criança e, segundo a vítima, teria obrigado a ingerir os comprimidos”, conta o delegado.

A jovem chegou a ser encaminhada para o Hospital em Salinas, mas a equipe médica constatou a morte do feto de aproximadamente três meses. Ainda de acordo com a polícia, a jovem teria ingerido seis comprimidos. A vítima segue internada e o estado de saúde é considerado estável, conforme informações do hospital.

Ainda de acordo com o delegado, o suspeito, que está preso, negou que tenha dado medicamento abortivo para a vítima. “O suspeito nega que tenha obrigado a tomar qualquer remédio, mas também não esclarece como e quando adquiriu o medicamento que tem venda proibida no país”, reforça o delegado.

Segundo a Polícia Civil, o homem pode responder pelo crime de aborto provocado por terceiro, sem consentimento da gestante. A pena prevista é de 3 a 10 anos de prisão. A corporação informou ainda que será realizado exame de necrópsia para saber a causa morte do feto.