O Hospital São Judas Tadeu, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi vistoriado pelo Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (5) a pedido da prefeitura da cidade. 

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que o prédio foi destelhado em  vários locais, provocando alagamento em todas enfermarias, raio  X e outros ambientes.

A rede elétrica também serviu de local para passagem da água, gerando escoamento de água dentro dos quadros elétricos, o que pode provocar oxidação das extremidades de cabos e fios, provando curto e até queimado os disjuntores e chaves. 

Durante a vistoria, o Corpo de Bombeiros constatou todos os problemas informados pela secretaria, mas esclareceu que não há risco para os pacientes e por isso o local não foi interditado, apenas notificado para que as reformas sejam feitas em um prazo de 30 dias, quando deve ser realizada nova vistoria. "Os militares verificaram ausência de Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, de um projeto técnico, de segurança contra incêndio e pânico, entretanto não foi constatada a situação de risco iminente, o que justificaria a interdição", informou o chefe de comunicação do Corpo de Bombeiros, Pedro Aihara.

Algumas providências, porém, devem ser tomadas para garantir a segurança dos pacientes, enquanto não são realizadas as reformas. Os responsáveis pela unidade de saúde receberam orientações quanto à rede elétrica, durante chuva forte, e também quanto à utilização do oxigênio medicinal. Está proibido o uso da rede de prédio. Só os cilindros portáteis são permitidos.

Por causa dos problemas, o Hospital São Judas informou que está reencaminhando as demandas médicas para a UPA Justinópolis e hospitais de Belo Horizonte e Contagem. A Prefeitura esclarece que está tomando todas as providências para uma solução mais rápida. 

Ainda segundo os bombeiros, o Ministério Público recebeu todos os laudos de vistoria e acompanha o caso.