Um incêndio em uma loja de autopeças na avenida Pedro II, 800, no Bairro Bonfim, na Região Noroeste de Belo Horizonte, mobilizou o Corpo de Bombeiros nesta sexta-feira (17). O fogo começou por volta de 12h30 e até o meio da tarde ainda era possível ver chamas no interior do estabelecimento. A fumaça preta no céu foi avistada em vários pontos da cidade. 

Ricardo Moreira que é funcionário da autopeças estava no local na hora do acidente. Muito nervoso, ele contou que havia sete funcionários no interior da loja. "A gente estava do lado de dentro e os clientes do lado de fora do balcão. Vimos o fogo, sem saber de onde vinha, foi muita correria, ele se alastrou, usamos uns dez extintores, mas nada adiantou, estou muito assustado, estou passando mal", contou.

A suspeita é que o fogo tenha começado no momento em que um funcionários passou gasolina de um veículo para o outro e o combustível acabou tendo contato com um aparelho elétrico, que soltou uma faísca, dando início às chamas.

Testemunhas relataram que clientes saíram correndo da loja. Alguns carros ficaram totalmente destruídos. Com o calor, a laje do segundo andar desabou. "Há risco de colapso também na laje do primeiro andar e na fachada", afirmou Marcos Vitório, agente de proteção da Defesa Civil.  

Ele contou ainda que a Defesa Civil tinha recebido a informação da existência de um cilindro de gás dentro da loja. E para evitar novos acidentes, a avenida Pedro II ficou interditada na frente da loja. 

Imóveis vizinhos

Outra preocupação foi com a vizinhança. Na região, os imóveis são muito próximos uns dos outros, o que facilita a propagação das chamas. Por isso, foi necessário que os bombeiros agissem rápido. Cerca de trinta e cinco militares trabalharam no combate ao incêndio. Também foram usadas sete viaturas.

O tenente Fabrício Eduardo do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros afirmou que os imóveis no entorno não foram afetados. Em apenas um deles, por causa do calor, alguns objetos de plástico derreteram, mas a estrutura não foi danificada.

 

Prejuízos

O dono da loja, Augusto Maciel, disse que a documentação de prevenção a incêndio está toda em dia. Ele contou ainda que o prédio tem seguro, mas as peças não. O prejuízo calculado por ele é de R$800 mil. "Mas felizmente, está todo mundo bem, ninguém se machucou", afirmou.

Quatro funcionários foram levados para atendimento médico após ter inalado muita fumaça. Dois pela equipe dos bombeiros e dois pelo Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu)

Por causa do incêndio, o trânsito ficou complicado na região. Agentes da BHTrans tiveram que desviar o tráfego por medida de segurança.

Leia mais:

Fogo destrói parte de fábrica de calçados em Nova Serrana
Bombeiros combatem incêndio em subestação da Cemig na Pampulha