O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) condenou a Samarco e outras empresas a indenizarem a viúva de um dos mortos na tragédia de Mariana, na região Central de Minas. A decisão foi dada nessa quarta-feira (19) e, como o processo corre em segredo de Justiça, o valor da indenização não foi divulgado. A decisão foi dada em primeira instância e cabe recurso.

Em novembro de 2015, 19 pessoas morreram no rompimento da Barragem de Fundão. Segundo o TRT-MG, três ações de familiares de uma das vítimas foram analisadas pelo judiciário. A decisão irá beneficiar, além de esposa e filhos, irmãos e sobrinhos.

Além da Samarco, foram condenadas a Manserv Montagem Manutenção S.A., a Vale S.A., a South32 Minerals S.A., a BHP Billiton Brasil LTDA e a WMC Mineração LTDA.

Resposta

Em nota, a Samarco informou que ainda vai analisar a decisão. “A empresa reafirma que sempre prestou assistência aos familiares dos trabalhadores que morreram em decorrência do rompimento da barragem de Fundão. A empresa pagou às famílias de trabalhadores falecidos R$ 100 mil a título de adiantamento de indenização, conforme acordo firmado com o Ministério Público de Minas Gerais em 23 de dezembro de 2015. A Samarco esclarece que continua mantendo diálogo com as famílias a fim de chegar a um acordo indenizatório justo e respeitoso”, disse.

Leia mais:

Atingidos pela tragédia de Mariana acusam mineradoras de não cumprir acordo
Samarco tem recurso negado e comitê mantém multa de R$ 1 milhão aplicada à mineradora