Após reunião com vereadores da base de governo na Câmara Municipal de Belo Horizonte, na manhã desta terça-feira (12), o prefeito Alexandre Kalil (PHS) definiu que não cortará o ponto dos professores da Educação Infantil do município, em greve há 50 dias, que retornarem ao trabalho até a próxima sexta-feira (15). 

Os professores que voltarem à sala de aula dentro do prazo devem integrar o calendário de reposição da rede municipal. O anúncio foi feito pelo vereador Leo Burguês, líder da base do governo na Câmara. Além disso, na reunião, o grupo, formado por 26 parlamentares e o prefeito da capital, estabeleceu que as negociações salariais serão retomadas no mesmo dia em que os professores voltarem ao trabalho. 

“Já temos mais de 80% dos servidores na sala de aula. Nós não podemos deixar que esses professores tenham seu ponto cortado”, afirmou o parlamentar. E completou: “se as aulas voltarem de manhã, à tarde o prefeito se comprometeu a voltar a negociar”.
 

Leia mais:
Kalil reafirma que só volta a negociar com professores quando greve for suspensa
Professores ganham 25% menos que profissionais de outras áreas
Sindicato faz campanha para arrecadar cestas básicas para professores de Umeis, em greve há 43 dias