Todos os dias, 367 mulheres sofrem algum tipo de agressão em Minas, o equivalente a cerca de 14 vítimas por hora. O dado, referente a 2016, consta no Diagnóstico de violência doméstica e familiar nas Regiões Integradas de Segurança Pública de Minas Gerais e alerta para o índice ainda elevado de ataques físicos, psicológicos, sexuais, morais e patrimoniais praticados contra as mulheres no Estado. 

Apesar da queda de 2% em relação a 2015, 126.710 registros de violência doméstica e familiar contra a mulher foram registrados no ano passado em Minas. Na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) de Belo Horizonte, a primeira do ranking, foram 14.960 casos no mesmo período. 

De acordo com o levantamento, o maior número de ocorrências acontece nessa região por englobar a capital mineira, que é possuidora da maior população de todo Estado. A tipo de violência predominante na maior parte do território mineiro é a física, seguida da psicológica.

Perfil 

O estudo analisa, ainda, os perfis das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar registradas nos anos de 2014 a 2016, e aponta que em 38% dos casos, são companheiros e, em 31%, ex-companheiros os autores desse tipo de violência.

Em todo Estado, no ano passado, 48.808 agressões foram praticadas pelo cônjuge da vítima, segundo o levantamento. Os ex-cônjuges foram responsáveis por 41.535 ataques no mesmo período. Além disso, 12.506 atos de violência foram praticados por filhos ou enteados. 

A maior parte das vítimas tem a cor da pele parda (46%), seguida da cor branca, em 33% dos casos. Aproximadamente 23% das vítimas possuem ensino fundamental incompleto, seguido de 19% que são alfabetizadas e18%, que possuem ensino médio completo. A faixa etária prevalecente entre as mulheres vítimas é de 25 a 34 anos de idade.

Leia mais na edição desta terça-feira (7) do jornal Hoje em Dia.

Leia mais:
Polícia Civil prende sete acusados pela Lei Maria da Penha em BH