Milhares de crianças e adolescentes mineiros trocam atividades essenciais, como brincar e estudar, por dinheiro. Pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), qualquer tipo de ofício é proibido a quem tem menos de 14 anos. A partir dessa idade, o serviço passa a ser autorizado, com restrições. Até os 16, só como aprendiz e, depois disso (até completar 18), apenas em atividades e horários específicos.

Especialistas em educação e no combate à erradicação do atividade juvenil são unânimes: o principal desafio é desconstruir a ideia da sociedade de que "antes trabalhar do que roubar". A responsabilidade não recai somente nas costas do poder público. Segundo o artigo 4º do ECA, a família e a sociedade também têm o dever de assegurar direitos básicos à infância, como educação e lazer.

Assista ao vídeo do dia a dia de Felipe nos semáforos de Belo Horizonte. Ele tem 15 anos e vende biju no sinal.