Realizado pela primeira vez entre agosto e setembro deste ano, o projeto Circuito Gastronômico de Favelas promete crescer em 2018. Além das seis comunidades de BH e região que participaram da edição de estreia do evento, outras seis devem integrar a programação: Vila Dias, 1º de Maio, Flávio Marques Lisboa, Novo Ouro Preto, Acaba Mundo e Marimbondo (Contagem). A previsão é que a segunda edição aconteça entre março e julho.

O projeto não prevê apenas a realização de festas gastronômicas dentro das vilas e favelas, mas também a capacitação dos atores envolvidos. Vinte e cinco microempresários e cozinheiros participantes do projeto vão participar, em janeiro de 2018, de um curso sobre operacionalização dos negócios, burocracias legais e novas técnicas de marketing. Entre 22 e 28 de janeiro o Servas oferecerá para os cozinheiros um módulo do curso Cozinha Inteligente. As aulas irão abordar o aproveitamento integral dos alimentos e a correta destinação de resíduos.

Resultado

Com edições nas comunidades participantes – Vila São José (Contagem), Jardim Teresópolis (Betim), Morro das Pedras, Alto Vera Cruz, Santa Lúcia e Serra (Belo Horizonte) – e dois dias de festa na Praça da Estação, o Circuito Gastronômico de Favelas conseguiu divulgar a boa comida feita em bairros carentes da Região Metropolitana.

Cerca de 20 mil pessoas prestigiaram o projeto. Foram vendidos 9.500 pratos e mais de R$ 100 mil comercializados.