Um homem que ficou conhecido no mundo do crime como "Maníaco de Juatuba" foi encontrado morto em plantação de eucalipto de Divinésia, na Zona da Mata mineira.
 
O corpo de Arilson Moreira de Barros, de 31 anos, foi achado após registro de denúncia anônima e a 300 metros da estrada de terra que liga a cidade ao distrito de Ubari, na quinta-feira (5).
 
De acordo com a Polícia Militar do município, o "Maníaco de Juatuba" foi assassinado com quatro tiros na região do peito e cabeça  e o cadáver estava em avançado estado de decomposição.
 
Segundo os policiais, na hora em que foi morto, Arilson estava com R$ 600, 24 cartuchos de calibres 380 e 38 e uma carteira de habilitação nos bolsos.
 
O autor do homicídio ainda é desconhecido e será investigado pela Polícia Civil.
 
Depois do trabalho da perícia, o corpo do maníaco foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Ubá, também na Zona da Mata.
 
Antecedentes criminais
 
Arílson Moreira de Barros era acusado de matar o pai, a mãe, o sobrinho, outras duas pessoas em Ubá, além de uma família formada por um casal e duas crianças, em Juatuba, na Grande BH. Arílson também era o principal suspeito de ter estuprado a ex-esposa.
 
No dia 3 de agosto deste ano, o "Maníaco de Juatuba" fugiu do presídio de Ubá, onde cumpria prisão preventiva desde 2011.
 
Na data da fuga, a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) informou que o criminoso fugiu por "abuso de confiança" e enquanto fazia a entrega de marmitas dentro da cadeia.