Nada de a pipa do vovô que não sobe, cabeleira do Zezé, ou se cachaça é água. A marchinha campeã da quinta edição do concurso Mestre Jonas é a "Não enche o saco do Chico". De autoria de Marcos Frederico e Vitor Velloso, a música retrata a discussão política ocorrida entre Chico Buarque e um grupo de jovens no Rio de Janeiro, e que viralizou pela internet. A composição foi criada como uma forma de pedir mais tolerância nas discussões.

Ouça "Não enche o saco do Chico":

A escolha aconteceu na noite desse sábado (30), em evento no Mercado do Cruzeiro, na região Sul de BH, onde jurados e o público escolheram as campeãs. Completam o podium as marchinhas "Prefeito, libera o cooler", de autoria de Helton Lima e Joílson Cachaça, e "A letra da marchinha", de Pablo Castro.

Confira a marchinha "Prefeito, libera o cooler":

"Se encontrar o Chico na rua e não tiver nada pra dizer, talvez seja melhor ficar na sua ou achar outro saco pra encher. Você pode ter a sua opinião e pode discordar do Chico, mas, se for pra tirar satisfação, é melhor você fechar o bico", diz a letra da música, que faz referência à discussão do cantor com jovens contrários ao PT.

Já a marchinha que ficou com o segundo lugar, do Coletivo Canto da Lagoa, ironiza o Decreto 16.203/2016, publicado às vésperas do carnaval e que proíbe a instalação de churrasqueiras, coolers ou similares nas ruas ou em carros estacionados em Belo Horizonte. A música foi cedida ao bloco "Vai Tomar no Cooler", que sai na segunda-feira (8) de carnaval, às 15h, no Bar da Dalva, nos encontros das avenidas Getúlio Vargas e Afonso Pena.

Ouça a marchinha "A letra da marchinha":

Bem Vestidos

No quesito irreverência, vai ser difícil fazer o desempate entre as diversas opções. Até entre amigos, a disputa está acirrada. Como escolher entre um imperador romano, um cupido e o Papa Francisco?

Thiago Souza, de 22 anos, não economizou nos detalhes para encarnar Nero. "Peguei a roupa com um amigo. Imagina se ganho o prêmio? Não ia ser nada mau um dinheiro extra no carnaval". O amigo que emprestou a roupa também caprichou na produção. Deyvs Antony, de 27 anos, que escolheu o pontífice por admiração pessoal, aproveitou para abençoar o carnaval de BH. "O evento já virou uma referência, e a cada ano está melhor. Minhas expectativas são as melhores possíveis", afirmou.

Vai ter bênção e também muito amor. O cupido, Silvaney Lopes, de 22 anos, garante que não vai decepcionar. "Mas sou um cupido egoísta, primeiro flecha alguém pra mim, depois pros outros", lembra.

Ao todo, foram 282 marchinhas inscritas e, como já ocorreu nas outras edições, o evento deste ano é marcado pela temática política. "As marchinhas sempre foram politizadas, é uma temática que predomina no concurso, é algo que marca o carnaval de BH. Neste ano não foi diferente. O que chama a atenção é a presença das mulheres, não apenas em maior número mas também trazendo a temática do feminismo", afirma Brisa Marques, uma das idealizadoras do evento.

 

 

Neste ano, os prêmios são de R$ 5 mil para a marchinha campeã, R$ 4 mil para a segunda colocada e R$ 3 mil para a terceira. Ao todo ainda serão premiados cinco foliões com as melhores fantasias, cada um leva R$ 500.

As marchinhas foram para a final do "V Concurso de Marchinhas Mestre Jonas" são:

- A Letra da Marchinha
- Ainda não Comi
- Bela adormecida
- Marchinha da proibição
- Mil meu, com mil seu
-Minério não se bebe
- Movido a Pixuleco
- Não enche o saco do Chico
- Prefeito, libera o cooler!
- Super Coxa!

 

*Matéria atualizada em 31/01/2016, às 7h15.