Um dos maiores esquemas de clonagem de carros roubados já vistos em Minas foi descoberto por uma operação da Polícia Civil em parceria com o Ministério Público Estadual.

Batizada de Dupla Face, a ação flagrou criminosos que duplicavam a placa de determinado veículo para utilização em outro com as mesmas características:modelo, cor e ano de fabricação. 

Ao todo, a quadrilha pode ter clonado mais de 200 veículos apenas neste ano, segundo estimativas dos investigadores. Na manhã de ontem, 15 mandados de prisão preventiva e 19 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça mineira. Até o momento, 11 pessoas foram presas e quatro ainda são procuradas pela Polícia Civil. 

Depois das adulterações da numeração do chassi e dos vidros, além das etiquetas identificadoras, placas, do lacre de segurança e documentação de uso obrigatório, os veículos eram vendidos para terceiros. Em alguns casos, os carros eram utilizados por outras quadrilhas para cometer crimes contra o patrimônio, tráfico de drogas e comércio de armas de fogo. 

“Os veículos, que custavam entre R$ 50 mil e R$ 70 mil, eram vendidos por cerca de R$ 6 mil para pessoas que, mesmo não sendo criminosas, tinham consciência da procedência do automóvel. Esquemas desse porte já aconteceram em outros estados, mas, em Minas, acredito que seja a primeira vez”, explica o delegado Antônio Júlio Prado, responsável pela operação.

Organização

A forma organizada como os criminosos agiam há seis meses na Grande BH impressionou até mesmo os detetives. A quadrilha tinha estrutura hierarquizada, com divisão rigorosa de tarefas.

Havia responsáveis pelos roubos, guarda dos veículos, adulteração de sinais identificadores, fornecimento de placas, selos, documentação falsa e distribuição dos carros na capital e em cidades do interior de Minas e da Bahia.

Em Belo Horizonte foram apreendidos dois veículos clonados – sendo um caminhão-baú – dois veículos roubados ainda não adulterados, outros três com fortes indícios de adulteração, uma arma de fogo e munição. 

Outro veículo clonado foi apreendido em Peçanha, no Leste do Estado. Em Santo Antônio do Jacinto, distrito de Almenara, foram apreendidos 10 carros clonados. 

Papéis timbrados utilizados para a impressão de documentos de veículos também foram encontrados. O material é de uso exclusivo dos Departamentos de Trânsito (Detrans), o que indica que funcionários desses órgãos podem ter envolvimento com o esquema. A Polícia Civil irá investigar a suspeita nos próximos desdobramentos da operação.