O que começou com um pequeno povoado se tornou a segunda cidade mais importante da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). No Estado, segundo levantamentos, já é a terceira. Polo de desenvolvimento industrial, Contagem ganhou moradores que adotaram o município e nem cogitam sair de lá. Aos 105 anos, coleciona histórias, saudades e muita admiração, como a da centenária Ana Herculana.

Lembranças de bons momentos – mas também dos difíceis – a ex-lavradora tem muitas. Um ano mais nova que Contagem, a idosa, mesmo acamada, conta com gosto o que passou nos 70 anos em que vive na cidade. “Está tudo bem fresco na memória”, diz, esbanjando lucidez.

Natural de Manhuaçu, Ana Herculana chegou ao município da Grande BH com o marido depois de passar por Mantena, pela Bahia e até pela capital mineira. “Aqui não tinha nada, era chão batido. Tudo muito diferente do que já tinha visto. Morei em casas de cipó e até em barraco de lona, mas não desisti de criar meus 12 filhos nessa cidade”, afirma a senhora, que vive no bairro Maracanã.

A vizinhança tem um carinho especial pela moradora, que pode ser a mais velha da cidade, calcula Raquel Lima Costa, de 39 anos, neta da anciã. “Todos a chamam de vó Ana. Na festa de cem anos dela, tivemos que fechar a rua, porque muitas pessoas vieram vê-la. Minha vó pede para que não a tiremos daqui. Ela quer morrer em Contagem”.

Tradicional

Diretor técnico da Quintão Imóveis, há quase 40 anos no mercado, José Roberto Gomes Romero se emociona ao relembrar a história da família, bastante tradicional em Contagem. O pai, o empresário José Quintão Romero, foi peça-chave no desenvolvimento da região, principalmente do Eldorado, no fim da década de 1950 e início da seguinte.

“A nossa história é inerente à Contagem. Aqui criamos nossos filhos, temos empreendimentos e damos emprego. Meu pai começou e continuamos seguindo esse legado” José Roberto Gomes Romero, de 60 anos, diretor técnico da Quintão Imóveis)

Natural de Santa Cruz do Escalvado, na Zona da Mata mineira, José Quintão chegou a BH em 1947 para trabalhar como garçom. Em 1955, soube de uma cidade que começava a crescer – Contagem – e passou a intermediar a venda de terrenos na região. “Dois anos depois, adquiriu o primeiro lote no Eldorado e nos mudamos para lá. Morávamos em um barracão”, conta José Roberto Romero.

Com visão empreendedora, José Quintão abriu armazém, padaria e, com outros comerciantes, inaugurou o segundo cine-teatro do município. Mas foi no ramo imobiliário que ele expandiu ainda mais os negócios, abrindo uma corretora em 1977. 

O empresário morreu em 2014, aos 84 anos. Hoje, os negócios são conduzidos pela família. “A história do meu pai tem a ver com o crescimento de Contagem. Não dá para desvincular. Ele representa o sonho de todo brasileiro. Jovem, fazia capina, saiu da roça para realizar o sonho na cidade grande e venceu”, diz José Roberto.

Raio X de Contagem

Densidade demográfica: 3.105,7 hab/km2

População: 603.442 habitantes

Hospitais: 4 (um público e três privados)

Unidades Básicas de Saúde: 80

Escolas estaduais: 33

Escolas municipais: 70

Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis): 37

Fundação de Ensino de Contagem (Funec): 13

Fontes: Censo 2010 e secretarias municipais de Desenvolvimento Urbano, de Saúde e de Educação