No momento em que o país se depara com uma taxa de desemprego de 13%, trabalhadores percebem que investir em formação nunca foi tão necessário. Quem se qualifica melhor sai na frente no disputado mercado. Cursos de extensão e atualização com foco na prática profissional podem ser boas alternativas para quem deseja adquirir conhecimento rapidamente e já aplicá-lo no dia a dia.

Ao observar uma crescente demanda por cursos de curto e médio prazos, a Faculdade IBS passou a oferecer opções que atendam às necessidades de profissionais de diversas áreas. A ação teve início em agosto de 2016 e, de tão bem recebida pelo mercado, 18 cursos foram planejados para o 1° semestre de 2017.

Algumas capacitações têm apenas de oito a 24 horas/aula, como gestão da comunicação digital, gestão de recursos humanos e liderança reversa. Outras, um pouco mais extensas, têm 140 horas/aula. É o caso de formação e especialização profissional em coaching. 

Outras informações sobre os cursos em ibs.edu.br, pelo e-mail extensao@ibs.edu.br ou ainda pelo telefone 

O público-alvo é formado por profissionais que buscam melhorar o currículo, conseguir um melhor posicionamento na empresa. Há ainda os que decidiram pelo empreendedorismo e precisam se qualificar para dirigir da melhor forma o próprio negócio.

Gerente de Produto e Relacionamento do IBS, Aline Matos diz que os cursos foram desenvolvidos a partir de demandas verificadas em pesquisas e de observação profissional. Muitas vezes, os próprios alunos da instituição, que oferece também graduação e pós-graduação, indicam as principais necessidades para quem está no mercado.

“A IBS se preocupa em trazer professores renomados, que possuam tanto conhecimento sobre teoria quanto a prática profissional. Nossos cursos são de aplicabilidade imediata e construídos com parceiros importantes. Gestão dos negócios de moda, por exemplo, foi construído a partir de uma parceria com o Instituto Europeo di Design (IED)”, afirma.

Aprimoramento

A gerente comercial Sarah Mello decidiu fazer um dos cursos de curta duração, mesmo que a escolha não pareça estar ligada à área de atuação dela. Aluna de gestão de comunicação digital, com foco em marketing nas redes sociais, ela quer levar mais resultados para o setor no qual trabalha a partir do novo conhecimento.

“Do que estou aprendendo, começo a olhar com novos olhos para o universo digital. Consigo ver onde a empresa está acertando ou errando nas mídias sociais. Posso monitorar o serviço de marketing e o trabalho que prestamos em mídias sociais”, diz.

Professor de gestão de pessoas da Fundação Getúlio Vargas, Amir El-Kouba frisa que a crise econômica motivou profissionais a buscarem cursos mais objetivos. 

“O mercado vive uma situação atípica. O país teve uma situação de pleno emprego e depois seguiu para uma de recorde de desemprego em curtíssimo espaço de tempo. Muitas pessoas perderam poder aquisitivo e mudaram o planejamento de carreira. Tinham intenção de investir em capacitação e migraram para cursos mais objetivos”.

Para o especialista, esses cursos não substituem a formação de longa duração, mas são interessantes para quem pretende trocar de área na carreira ou para quem precisa da aplicação do conhecimento imediatamente no trabalho exercido.