Os usuários do transporte coletivo da capital e da Região Metropolitana de Belo Horizonte que utilizam a tarifa de integração com o metrô, ainda pagam mais caro nesta segunda-feira (14), apesar da ordem judicial que obrigou a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) a voltar o valor de R$ 3,40 para R$ 1,80.

A questão que gera polêmica e causa prejuízo aos usuários do sistema de integração com o metrô é que, após ser notificada oficialmente da liminar, a CBTU cumpriu com a decisão e voltou atrás no valor da tarifa, mas as empresas de ônibus não retomaram os antigos valores cobrados na integração.

Com o aumento do valor das tarifas praticadas no metrô, de R$ 1,80 para R$ 3,40 na última sexta-feira (11), o valor da integração para usuários do cartão BHBus passou de R$ 1,45 para R$ 2,90 no metrô, mantendo os R$ 2,60 do ônibus para integrações dentro das estações Vilarinho, São Gabriel e José Cândido. Fora das estações, utilizando os ônibus de tarifa R$ 2,85, a integração com o metrô aumentou os mesmos R$ 2,90, mantendo o valor do ônibus como era, R$ 2,30. Já os usuários do cartão Ótimo, que antes do reajuste pagavam R$ 1,53, passaram a pagar R$ 2,88 na integração com o metrô. 

A CBTU informou através de nota que foi notificada da decisão da Justiça nesta segunda-feira (14) pela manhã e comunicou às empresas conveniadas sobre a ordem judicial que cancela o reajuste.

A Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas por meio da Subsecretaria de Regulação de Transportes comunicou através de nota que foi informada oficialmente na manhã desta segunda-feira (14), pela Superintendência Regional da CBTU em Belo Horizonte, que a empresa recebeu notificação judicial da decisão liminar da 4ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte suspendendo o reajuste da tarifa do metrô da capital mineira.

Transporte metropolitano

Em nota, a Subsecretaria informou ainda que já comunicou as empresas de transporte metropolitano para adotarem providências necessárias para o retorno do valor da tarifa integrada de R$ 1,53.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram), através da sua assessoria de comunicação, esclarece que somente nesta segunda-feira (14) foi notificado sobre o retorno dos valores da tarifa integrada do metrô com o sistema metropolitano de transporte. Tão logo recebeu a orientação, o Sintram deu início ao processo para adequação dos valores de cada grupo tarifário. O sistema de bilhetagem eletrônica – responsável pela adequação de todas as empresas que operam as linhas metropolitanas – não consegue, no entanto, fazer o ajuste de forma imediata, uma vez que é necessário cadastrar as linhas de todo o sistema. Ainda na noite desta segunda-feira as tarifas de integração voltarão aos valores antigos. 

Com relação ao questionamento sobre o reembolso de tarifas, a assessoria do Sintram afirma que a informação deve ser checada com a CBTU, uma vez que a parcela da tarifa integrada destinada ao sistema metropolitano de transporte não sofreu qualquer alteração com o reajuste feito no metrô. A mudança de valor na tarifa integrada que foi realizada na semana passada atendeu exclusivamente ao reajuste do metrô, sendo que os repasses às empresas de ônibus durante a integração permaneceram inalterados.

BHTrans

A BHTrans, responsável pela tarifação do sistema BHBus, informou através da sua assessoria de comunicação e marketing que, assim que recebeu a notificação da suspensão da tarifa no metrô, comunicou às empresas para que fosse feita a alteração na tarifa integrada. Esta modificação dos valores nos validadores do cartão BHBus é de responsabilidade das empresas. São cerca de 20 mil usuários por dia que fazem a integração metrô/ônibus.

CBTU

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos comunicou através da sua assessoria de comunicação que, “Não houve descumprimento da CBTU sobre a decisão e nem motivação para ressarcimento por parte da empresa”.