O Governo de Minas vai avaliar a possibilidade de empréstimo oferecido pela União para investir em segurança pública. A linha de crédito de R$ 42 bilhões, para ser dividida entre os estados, foi anunciada nessa quinta-feira (1º) pelo presidente Michel Temer, em reunião com governadores, secretários e ministros. 

O objetivo é reduzir os índices de criminalidade no país. O secretário de Segurança Pública de Minas Gerais, Sérgio Menezes, foi o representante do Estado no encontro ocorrido na capital federal. 

Os recursos fazem parte do Programa Nacional de Segurança Pública e estarão disponíveis ao longo de cinco anos. Do montante total, R$ 33,6 bilhões são do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). 

Procurado, o governo federal não detalhou como será a alocação dos recursos. Mas foi adiantado que a ideia é disponibilizar R$ 5 bilhões neste ano. Entre 2019 e 2022, serão liberados os demais R$ 37 bilhões. Os estados terão um prazo médio de oito anos para pagar a dívida, com dois de carência.

Com o dinheiro, espera-se que haja a abertura de novas vagas nas penitenciárias. Segundo Michel Temer, os estados vão receber verba suficiente para a construção de 30 unidades, sendo 25 estaduais e cinco federais. “Todos sabemos que o sistema penitenciário está lotadíssimo, precisamos desafogar isso”, disse o presidente. Temer, no entanto, admitiu que apesar da construção das cadeias, o sistema continuará superlotado. 

*Com agências