Quarenta e oito horas após o governo de Minas emitir um alerta por causa de um surto de febre amarela, o número de registros de casos mais do que dobrou no Estado. Agora, já são 48 notificações de pacientes com suspeita da doença, sendo 14 mortes. Todos os casos ocorreram na zona rural, mas existe a preocupação de que o vírus chegue nas áreas urbanas, onde a transmissão se daria por meio do Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue, zika e chikungunya. Por isso, além de reforçar a vacinação em todo o Estado, o governo ainda intensificou as ações de combate ao mosquito.

De acordo com informações da Secretaria de Estado de Saúde, “serão realizadas ações educativas de mobilização social para eliminação de criadouros do Aedes aegypti em municípios infestados, visando evitar a reurbanização da febre amarela”. Até o momento, foram identificadas quatro Unidades Regionais de Saúde com registro de morte de primatas (epizootias) e casos prováveis de febre amarela silvestre. 

Ao todo, 15 municípios estão em alerta com relação à ocorrência da doença. Como as notificações de casos suspeitos são feitas inicialmente no âmbito municipal e só depois no estadual, o número de registros nesses locais pode ser ainda maior. Por causa disso, agentes estão passando de casa em casa nas zonas rurais para vacinar os moradores e evitar a propagação do vírus.

Devem chegar ainda hoje em Minas 450 mil unidades da vacina contra a febre amarela, encaminhadas pelo Ministério da Saúde. Segundo o órgão federal, outras 285 mil doses já foram enviadas ao Estado na última terça-feira, e não há motivo para preocupação com a imunização, já que “o país tem estoque suficiente para atender toda a população nas situações recomendadas”.

Ações de controle
Ainda conforme o Ministério, para intensificar as ações de vacinação, o governo de Minas, em conjunto com os municípios, fará busca ativa nas localidades onde foram registrados casos suspeitos da doença na zona rural dos municípios. Postos de saúde móveis serão montados nas regiões onde estão ocorrendo os casos suspeitos de febre amarela, além da ampliação do horário de funcionamento das unidades.

Os municípios com ocorrência de casos suspeitos de febre amarela (Ladainha, Malacacheta, Frei Gaspar, Caratinga, Piedade de Caratinga, Imbé de Minas, Entre Folhas, Ubaporanga, Ipanema, Inhapim, São Domingos das Dores, São Sebastião do Maranhão, Itambacuri, Poté e Setubinha) já fazem parte da área de recomendação para vacinação, assim como toda Minas Gerais. Quem já tomou duas doses da vacina durante toda a vida já é considerado imunizado.