A Secretaria Estado da Saúde de Minas Gerais (SES) divulgou hoje mais um boletim epidemiológico da dengue, febre chikungunya e zika vírus. Os dados são referentes até a data desta segunda-feira (17). Neste ano, até o momento, Minas Gerais registrou 25.607 casos prováveis de dengue. Desses, sete casos vieram a óbito e outros 17 seguem em investigação.

Os óbitos aconteceram nos municípios de Araguari, Bocaiúva, Campim Branco, Ibirité, Patos de Minas, Ribeirão das Neves e Uberlândia. Não existe uma faixa etária predominante, mas a média de de idade foi de 36 anos. Estes óbitos ocorreram no primeiro semestre do ano, coincidindo com o período de maior número de casos.

Febre Chikungunya

Em relação à Febre Chikungunya, são 17.510 casos prováveis e 5 óbitos confirmados em decorrência da doença. Outros quinze óbitos suspeitos estão em investigação. 

Desses 05 óbitos, 3 foram mulheres e 2 em homens. As pessoas que faleceram em decorrência da doença tinham acima dos 65 anos. Os óbitos aconteceram nas cidades de Central de Minas, Cuparaque, Teófilo Otoni e Governador Valadares.

Do total de casos prováveis, 106 são gestantes e 38 são confirmadas para chikungunya pelo critério laboratorial. Em 2016, foram confirmados os primeiros casos autóctones de chikungunya. Até 2015 todos eram casos importados de outros estados ou de outro país.

Zika Vírus

Já com relação à febre pelo Zika Vírus, são 873 casos prováveis no estado em 2017, sendo 129 em gestantes. Desse total, 50 gestantes foram confirmadas para zika. O número de casos prováveis em 2017 está muito inferior ao de casos prováveis notificados em 2016 (13894 até julho de 2016 contra 873 até julho de 2017).