Minas Gerais registrou 57 mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em 2018, segundo Boletim Epidemiológico sobre Gripe publicado nesta segunda-feira (14), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). A síndrome é constatada quando o paciente possui os sintomas tradicionais de viroses (febre, cefaleia, dores musculares, tosse, dor de garganta) e também uma intensa dificuldade na respiração, necessitando de internação.

Até o momento, foram notificados 800 casos de SRAG no Estado, sendo 458 (57,3%) com amostra coletada e processada. Dos casos com amostras processadas, 11,6% (53/458) foram classificados como SRAG por Influenza e 16,6% (76/458) como outros vírus respiratórios. Entre os pacientes com o mais conhecido vírus da gripe, 71,7% estavam infectados com Influenza A.

Os casos de SRAG por Influenza apresentaram uma mediana de idade de 61 anos, variando de 0 a 96 anos. Em relação à sua distribuição, os municípios com maior número de casos de SRAG por Influenza no Estado foram Belo Horizonte (14 casos) e Mariana (3 casos). No total, 26 municípios do estado identificaram SRAG associadas à Influenza em pacientes residentes.

Monitoramento

A SES-MG mantém uma vigilância universal de SRAG, monitorando os casos de internações e óbitos, com o objetivo de identificar o comportamento da Influenza no Estado, subsidiando a tomada de decisão em situações especiais. Os vírus respiratórios pesquisados são: Influenza A, (A/H1N1, A/H1, A/H3 e A não subtipado), Influenza B, Vírus Sincicial Respiratório, Parainfluenza, Adenovírus, Metapneumovírus, Bocavírus e Rinovírus.

Prevenção

Segue até o dia 1º de junho a Campanha de Vacinação Contra Influenza. Além de indivíduos com 60 anos ou mais de idade, podem ser vacinadas as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os professores das escolas públicas e privadas, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.

Em Minas Gerais espera-se vacinar 5 milhões de pessoas. O Influenza é um vírus de circulação sazonal e, em 2018, a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, protegendo contra 3 tipos de Influenza, sendo eles o H3N2, o H1N1 e o B.