Já foram registrados em Minas Gerais 20.286 casos prováveis de dengue desde o início do ano, segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira (19) pela Secretaria de Estado da Saúde. São 502 casos a mais que o divulgado na última semana, quando foram registrados 19.784 casos. 

Até o momento, foi confirmada uma morte em Ibirité, na Região Metropolitana. Há 18 óbitos sendo investigados.

Em relação à chikungunya, Minas Gerais registra 7.867 casos prováveis da doença. Onze óbitos estão em investigação. Já com relação à febre pelo Zika Vírus, são 554 casos prováveis no estado em 2017. 

De acordo com a SES/MG, nas quatro últimas semanas epidemiológicas, que vão dos dia 12 de março ao dia quatro de abril, não foi registrada incidência acima de 300 casos prováveis por 100.000 habitantes em nenhum município mineiro, ou seja, nenhuma cidade de Minas está com alta incidência da doença. Já os municípios Pedra Azul, Aimorés, Tumiritinga e Resplendor têm incidência média. 

Outra forma de medir o crescimento da doença é pelo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). O método permite a identificação dos criadouros predominantes e a situação de infestação do município. Indices até 1% indicam condições satisfatórias, entre 1% e 3,9%, situação de alerta e índices superiores a 4%, risco de surto.

De acordo com a SES/MG, em março de 2017, o LIRAa foi realizado em 150 municípios, sendo que 58 estão com em situação de risco para ocorrência de surto, 68 em situação de alerta e 24 com baixo risco para ocorrência de surtos.

Leia mais:
Risco de contrair febre amarela pode ser menor para quem já teve dengue
Minas registra 11 vítimas do Aedes por hora; casos tendem a crescer em abril