Minas Gerais continua em situação de alerta para a febre chikungunya. Os casos prováveis superaram muito o número registrado em anos anteriores: 31 em 2015 e 503 em 2016. Em 2017, até o momento, foram noticiados 16.376 casos prováveis de chikungunya, 201 a mais do que o divulgado no último balanço, na semana passada. 

Deste total, 95 são em gestantes e, dessas 30 estão confirmadas para chikungunya pelo critério laboratrial. Em 2016, foram confirmados os primeiros casos autóctones de chikungunya (contraídos em Minas Gerais). Até 2015 todos os casos notificados eram casos importados de outros estados ou de outro país. 

A maior incidência continua sendo nas regionais de saúde de Governador Valadares e Teófilo Otoni. Em 2017, Minas Gerais já registrou 22 óbitos suspeitos por chikungunya que estão sob investigação.

Zika vírus
Em 2017 já foram registrados 848 casos prováveis de Zika, sendo 127 em gestantes. O número de casos prováveis neste ano é muito inferior ao número notificado em 2016. Em maio do ano passado, por exemplo, foram identificados 833 casos, contra 147 no período atual.