O motorista Luiz Fhilippe da Cunha Gonçalves Pereira, de 24 anos, que estava no volante da carreta de minério que matou três pessoas e deixou onze feridos em acidente nessa quarta-feira (6), no Anel Rodoviário, negou que estivesse acima da velocidade e culpou o freio pelo acidente. “Eu estava a 60 km/h, freio motor ligado. Estava funcionando normal o freio. Quando eu pisei, o pedal foi lá no fundo. Aí eu desesperei e só falei, ‘meu deus, o que eu vou fazer?’”, afirmou o motorista da carreta em entrevista nesta quinta-feira (7) à Rádio Itatiaia. Luiz Fhillipe, que mora no bairro Califórnia, Região Oeste de Belo Horizonte, também disse que foi o primeiro acidente no qual esteve envolvido e que irá abandonar a profissão.

O motorista da carreta foi preso pela manhã desta quinta (7) e encaminhado para o Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp), na Gameleira, Região Oeste de BH. Luiz Fhilippe será autuado por dolo eventual (quando não há intenção de matar, mas se assume o risco) pela morte do policial civil Dogmar Alves Monteiro, 52, da mulher dele, a advogada Kelly Cristina da Silva Monteiro, 46, e o filho do casal, o estudante de medicina Victor Monteiro, 21.  Se for condenado, Luiz Fhilippe pode pegar de seis a 20 anos de prisão, com pena de reclusão, sem fiança. Ele chegou a ser submetido ao teste de bafômetro, que deu negativo.

Vítimas

A família estava no Agile, que foi arrastado por cerca de 200 metros pela carreta de minério conduzida por Luiz Fhilippe, no trecho do Anel após a descida do bairro Betânia, sentido Vitória. O motorista não conseguiu parar o veículo, que atingiu os automóveis parados no trânsito. Com a colisão, a carreta se incendiou e prensou o Agile na mureta. Victor e Kelly Cristina foram carbonizados, e Dogmar foi encontrado fora do automóvel.
Até a tarde de ontem, os corpos da família, natural de Caratinga, no Vale do Rio Doce, estavam no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte e aguardavam a chegada de parentes para a liberação. 

Pelo Facebook, o Centro Universitário UniBH se manifestou sobre a perda de Victor, que estudava medicina na instituição. "O UniBH manifesta profundo pesar com a tragédia no Anel Rodoviário que resultou no falecimento do nosso aluno do curso de Medicina, Vitor Monteiro e dos seus pais. Nos solidarizamos com todos seus familiares e amigos", diz o texto da postagem.
 

Leia mais:
Motorista que provocou acidente no Anel Rodoviário está preso, afirma Polícia Civil 
'Mais um assassinato no Anel Rodoviário', afirma Kalil sobre acidente com três mortos
PGR vai ingressar com ação pública para transferir a administração do Anel Rodoviário para a PBH
Caminhão sem controle bate em seis veículos no Anel Rodoviário, explode e mata três pessoas