Dezenas de passageiros de um ônibus ficaram literalmente a pé, após um motorista abandonar um ônibus na manhã desta quarta-feira (27), em plena avenida Mário Werneck, no bairro Estoril, região Oeste de Belo Horizonte. O homem teria ficado irritado, depois que uma passageira insistiu em embarcar no coletivo, mesmo ele dizendo que era impossível mais uma pessoa entrar no veículo, devido à lotação. A mulher teria zombado do motorista.

O fato ocorreu por volta das 7h30, quando o ônibus da linha 9250 (Nova Cintra/Caetano Furquim) parou em frente em número 1.010, e a mulher tentou embarcar. Diante da insistência dela, o motorista, identificado apenas como "Álvaro", disse que só iria seguir viagem caso a passageira concordasse em descer do coletivo. Ela e alguns dos passageiros começaram a vaiar e dar risadas do homem, o que o deixou furioso. O condutor, então, saiu do ônibus e disse que "não era obrigado a trabalhar nestas condições e ainda aguentar desaforo de passageira tirando onda com sua cara".

Os passageiros ficaram revoltados e alguns acionaram a Polícia Militar. Militares da 126ª Companhia do 5° Batalhão da Polícia Militar, estiveram no local para registrarem ocorrência. A estudante de Direito Denise Gomes, 28 anos, estava no coletivo, e a sua preocupação era poder provar ao professor da faculdade, que seu atraso ocorreu devido a este contratempo. "Tenho prova no primeiro horário e quero poder garantir que irei fazê-la em segunda chamada", disse. O estudante Rafael Nicolas, 19 anos, tinha uma entrevista de emprego marcada para às 8h25 na região da Savassi, e também não conseguiria chegar ao seu destino. Ambos registraram a ocorrência. Procurado pela reportagem do Hoje em Dia, o Consórcio Pampulha, da empresa responsável pela linha, ainda não se manifestou sobre o assunto. A BHTrans também ainda não se pronunciou.