A Secretaria Municipal de Saúde de Caratinga, no Vale do Rio Doce, investiga a morte de seis pessoas por suspeita de febre amarela silvestre. Nesta segunda-feira (9), o município confirmou a morte do produtor rural João Alexsander de Oliveira. Ele é morador de distrito de Ubaporanga, região que já teve uma morte com a mesma suspeita de contaminação. Os óbitos pela doença começaram a serem registrados no dia 19 de dezembro.

Outras 11 pessoas seguem internadas com sintomas da enfermidade. Segundo a pasta, os pacientes foram transferidos na última sexta-feira (6) para unidades de saúde em Ipatinga, Governador Valadares e Belo Horizonte.

Em comum, de acordo com a secretaria, as vítimas (entre óbitos e pessoas internadas), são homens, lavradores e a maioria em idade ativa. Apenas uma mulher está entre os casos suspeitos de febre amarela.

Nesta segunda-feira, integrantes da Secretaria de Estado de Saúde (SES) reuniram-se com os representantes da saúde municipal das cidades em situação de alerta para o planejamento de uma força-tarefa que agilizará o atendimento de pacientes com suspeita da doença.

A pasta dará uma coletiva de imprensa nesta tarde, na Cidade Administrativa, para falar a respeito da situação do Estado frente ao surto. A Prefeitura de Caratinga também anunciará as medidas que serão adotadas pelo serviço de saúde municipal.

Segundo o executivo municipal, técnicos da Gerência Regional de Saúde de Coronel Fabriciano estão auxiliando nas investigações a respeito da febre amarela silvestre. Eles encontraram três macacos mortos na região onde os lavradores trabalham. Os técnicos estão colhendo material biológico destes animais para fazer a análise. Técnicos da Secretaria de Estado da Saúde de Belo Horizonte estão chegando à região para fazer novos estudos.

OMS

O Ministério da Saúde notificou, na última sexta-feira (6), a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre 12 casos e cinco mortes suspeitas de febre amarela nas cidades de Ladainha, Malacacheta e Frei Gaspar, no Vale do Mucuri, e nos municípios de Caratinga, Piedade de Caratinga e Imbé de Minas, no Vale do Rio Doce.

Sintomas

Febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina) são alguns dos sintomas da febre amarela.

Leia mais:
Ministério da Saúde notifica OMS sobre 12 casos suspeitos de febre amarela em Minas