Com o objetivo de combater o crime contra o patrimônio em Belo Horizonte, a Polícia Civil realizou a operação Pilhagem, que esclareceu, pelo menos, 17 arrombamentos a residências ocorridos em dois meses no entorno do bairro Buritis, região Oeste de Belo Horizonte.

Foram cumpridos mandados de prisão preventiva de Robson Moreira dos Santos, de 40 anos, em 24 de maio, no bairro Serra, na região Centro-Sul da capital. Outro suspeito, Fabrício de Souza Pereira, de 32, foi preso no dia 4 de abril.

O delegado que conduziu as investigações, Flávio Grossi, disse que a dupla vinha atuando de maneira recorrente no bairro, em prédios mais vulneráveis e utilizavam um táxi para cometer os crimes. Em alguns casos, a dupla utilizou um veículo Honda Fit, furtado em um dos crimes.

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos subtraíam qualquer tipo de material que encontravam no pilotis dos prédios e na garagem, como, por exemplo, bicicletas e outros objetos que estavam dentro dos carros. “O investigado Fabrício, que era taxista, geralmente ficava no carro e o outro, Robson, entrava no prédio. Um táxi parado na rua, como se estivesse esperando um passageiro, não chama atenção da população, esse fato foi um ardil utilizado pela dupla. Eles optavam pelos horários que as pessoas normalmente estão trabalhando, como a hora do almoço ou à tarde. Nenhum dos dois queria conflito e nem tinha intenção de exercer violência. O suspeito Robson arrombava as portas dos edifícios com alavanca ou chave de fenda e acessava a garagem.”, conta o delegado.

Ainda, de acordo com o delegado, a partir das imagens de circuito de segurança e do modo de agir da dupla, foram realizadas diversas diligências indicando que a dupla residia no Aglomerado da Serra, na capital. Durante essas diligências, um receptador dos produtos chegou a ser preso. Ele responde em liberdade por receptação, depois de ter pagado fiança. “Nós realizamos cerca de oito incursões no Aglomerado da Serra para identificar e tentar recuperar os materiais furtados. Em uma dessas incursões, localizamos um receptador dos produtos, que foi preso. A partir do momento que identificamos o táxi, o suspeito Fabrício sentiu que o cerco estava fechando e se entregou na delegacia, levando inclusive alguns materiais”, revelou Flávio.

Os dois suspeitos possuem passagem pela polícia por furto, sendo que Robson chegou a ser condenado. “O Robson já foi preso anteriormente, em 2015, pela nossa delegacia chegou a ser condenado e pagar a pena pelo crime apurado na época”, disse o delegado.

De acordo com as investigações, a dupla também pode estar envolvida em outros furtos na região Sul da capital. “Ainda temos muitos materiais recuperados que ainda não foram restituídos. Como havia também atuação da dupla nos bairros Sion, Cruzeiro e Serra, acreditamos possa ter sido furtado nesses bairros. Sendo assim, solicitamos que possíveis vítimas compareçam à 4ª Delegacia de Polícia Civil para identificar o material”, comentou o Flávio.

Foram recuperadas diversas bicicletas de alto valor no mercado, televisores, máquinas fotográficas, roupas, entre outros materiais. Os suspeitos irão responder por furto.