A Prefeitura de Belo Horizonte apresentou, na manhã desta quarta-feira (13), uma proposta de aumentar os recursos repassados pelo município, além de buscar apoio do Ministério da Saúde, para o Hospital Sofia Feldman, maior maternidade do país em número de partos. A proposta foi aprovada pela diretoria da unidade, mas os valores ainda não foram informados. 

O objetivo é combater a crise financeira que atinge o hospital, localizado no bairro Tupi, Norte da capital, há pelo menos um ano. “Foi um bom acordo, de trabalharmos em conjunto para melhorar a assistência e garantir que não vamos precisar fechar as portas, nem diminuir os atendimentos”, explicou o diretor técnico e administrativo da unidade, Ivo Lopes.

A proposta foi apresentada em uma reunião realizada entre o prefeito Alexandre Kalil, o secretário de saúde, Jackson Machado, integrantes do Conselho Municipal de Saúde e representantes da diretoria do Sofia Feldman. A maternidade filantrópica, que atende somente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), tem um déficit de R$ 1,5 milhão por mês.

“É preciso deixar claro que não temos nenhuma proposta de municipalizar o Sofia, nem de intervenção na administração. O que estamos elaborando e levantando é a quantidade de recursos adicionais que vamos repassar ao hospital”, afirmou o secretário Jackson Machado. 

A previsão é de que o contrato seja assinado na semana que vem. Com a parceria oficializada, o prazo de pagamento é de 30 dias.