Com o objetivo de incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte na capital mineiro, o Plano de Mobilidade por Bicicleta 2017/2020 foi entregue ao prefeito Alexandre Kalil nesta terça-feira (18). O plano é composto por mais de cem ações, previstas para serem realizadas durante o atual mandato. Uma delas é aumentar as ciclovias, que hoje são de 83 km, para 411 km até 2020 – uma expansão de 400%. Com isso, a expectativa é de que 6% de todos os deslocamentos da capital sejam realizados por meio da bicicleta.

Há ações também em infraestrutura e circulação, integração modal e bicicletas compartilhadas, comunicação, educação, mobilização, governança, produção de dados, transparência, legislação e financiamento.

Também está prevista a implantação de bicicletários no metrô e nas estações de integração do Move, a manutenção da rede cicloviária existente, a implantação de paraciclos nas escolas municipais e campanhas educativas. Outra ação que merece destaque é a implantação do projeto "Zona 30", que visa limitar a velocidade máxima de algumas vias da capital a 30 km/h, de forma a estimular o compartilhamento dos espaços entre carros, bicicletas e pedestres, tornando as vias mais seguras para todos.

O plano é fruto de vários estudos e reuniões do grupo de trabalho "GT Pedala", formado por técnicos da BHTrans e ciclistas de Belo Horizonte. O planejamento contou com a participação da Associação dos Ciclistas Urbanos de Belo Horizonte, BH em Ciclo, Secretaria Municipal Adjunta de Planejamento Urbano e Sudecap.