A Polícia Civil abriu inquérito para investigar um crime de agressão envolvendo um advogado e um cabo da Polícia Militar de Itaúna, região Centro-Oeste de Minas. A briga teria sido motivada por uma brincadeira envolvendo o advogado Marco Túlio Marques Nogueira, de 24 anos, e uma amiga, de nome Maria Angélica. “Estávamos em uma boate e eu estava brincando de falar o nome da minha amiga. Este policial estava perto e usando a camisa do Cruzeiro. Ele se sentiu ofendido porque eu estava falando Maria e logo partiu para a agressão”, relata o advogado.

Nessa segunda-feira (19), Marco Túlio procurou a Polícia Civil e registrou Boletim de Ocorrência a respeito do caso. Ele também utilizou as redes sociais para denunciar o crime. “Foi descabido o que ele fez. Não estava me referindo a time de futebol e não estava provocando ninguém", conta.

Ao retomar a consciência, o advogado questionou os seguranças do local se o agressor havia sido expulso do estabelecimento. Os seguranças informaram que ele era policial militar e que não havia ido embora.

Nesta terça-feira (20), Marco Túlio passou por exame de corpo de delito. “Ele representa a segurança do Estado e pelo jeito não está preparado para tal função”, diz o advogado.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o policial e o advogado devem prestar depoimento ainda nesta semana e que abriu um inquérito a respeito de lesão corporal.

Em nota, a assessoria de imprensa da 5ª Companhia Militar de Itaúna informou que, como o policial estava de folga no momento da ação, o caso será investigado pela Polícia Civil e que um processo administrativo também foi instaurado.