A Polícia Civil de Minas Gerais instaurou inquérito para apurar denúncia de violência contra moradores da comunidade quilombola Marobá dos Teixeira, situada no município de Almenara, no Norte de Minas. O caso ocorreu na noite da última sexta-feira (24).

Segundo informações de moradores da área e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), três homens armados e encapuzados torturaram um casal que vive na comunidade. O homem, chamado Jurandir, chegou a ser amarrado em um poste e espancado até desmaiar.

O grupo levou pertences da casa e documentos da associação comunitária, além de papéis relativos aos processos administrativos e judiciais sobre o território quilombola. No texto divulgado para denunciar a ação, os moradores levantam a hipótese do episódio estar relacionado à disputa por terras.

“Acreditamos que isto está ligado ao conflito agrário e às lutas em defesa do território. Em outros momentos, vários momentos de conflitos foram registrados, muitas ameaças já foram feitas, também agressão física e verbal. As burocracias e a omissão dos órgãos de governo e até a morosidade do Judiciário têm contribuído para acirrar o conflito”, diz o texto.

Em nota, a Polícia Civil mineira informou que fez uma perícia no local no dia do episódio e que todas as diligências estão sendo feitas pela equipe de investigação. “Não é possível detalhar os procedimentos para não prejudicar o trabalho investigativo, mas esperamos nos próximos dias concluir a apuração e remetê-la à Justiça.”

Leia mais:
Empresário do Alto Paranaíba é condenado a pagar R$ 30 mil por promover 'rinha de galos'
Governo divulga relatório sobre situação de direitos humanos no país