A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu dois homens suspeitos de matar o vigia Roberto Elísio Ferreira Melo, de 54 anos, que estava desaparecido desde o dia 2 de março. A vítima foi vista pela última vez em Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na companhia de Michael Rafael Ludgário Santos, de 20 anos, conhecido como "Bola", e Gudison Benedito Duarte, 21, o “Coruja”, que foram conduzidos nos últimos dias 15 e 17 de março, respectivamente.

Segundo a PCMG, as investigações tiveram início com o desaparecimento da vítima. O homem trabalhava como vigia em uma cimentaria na cidade de Pedro Leopoldo, mas poucos dias depois do ocorrido seu carro foi localizado em Sete Lagoas, abandonado em via pública. 

O veículo estava com um suspeito, ainda não identificado, que, enquanto conduzia o veículo, se deparou com a Guarda Municipal de Sete Lagoas, e abandonou o veículo, fugindo a pé. Foi instaurado um inquérito para apurar o possível furto e/ou roubo do automóvel simultaneamente à investigação do desaparecimento.

Em relação ao desaparecimento, as investigações revelaram que o último contado da vítima foi com uma adolescente no bairro Itapuã, também em Sete Lagoas. Conforme a jovem, Roberto teria ligado para marcar um encontro próximo à escola do bairro, mas que ao chegar no local viu Roberto à distância e desistiu do encontro. Depois do fato a vítima contou que foi embora.

Em depoimento a adolescente também confirmou ter um envolvimento amoroso com Gudison Benedito Duarte, de 21 anos, conhecido como "Coruja". Gudison possui passagens por crimes como homicídio de tráfico de drogas, e possuía mandado de prisão em aberto.

Com a evolução das investigações, a Polícia Civil chegou até um adolescente que teria envolvimento no crime e localizou o corpo do vigia, no dia 08 de março, em uma mata localizada atrás do bairro Itapoã. Segundo o depoimento do adolescente, na data do crime Roberto chegou de carro em frente à escola Doutor Enísio Antônio Viana e, em seguida, chegou a jovem que passou a conversar com a vítima. Logo, chegaram os suspeitos Gudison, Tiago Cosme do Carmo, de 30 anos, conhecido como "Dão", e Michael Rafael Ludgário Santos, de 20 anos, conhecido como "Bola". Os dois primeiros estariam armados, cada um com um revólver, e ameaçaram a vítima conduzindo-a em direção a um pasto, enquanto a garota foi para casa.

"Coruja" e "Dão" assumiram para o adolescente, no dia seguinte ao crime, que teriam matado o suspeito e ocultado o cadáver. Foi solicitada à Justiça o mandado de prisão dos três suspeitos e Michael teve o mandado de prisão cumprido no dia 15 de março, em Sete Lagoas. Já Gudison foi detido na última sexta-feira (17), quando retornava para a cidade onde o crime ocorreu.

No momento da abordagem, Gudison portava na cintura um revólver calibre 38 carregado com três munições, mesma arma utilizada na prática do homicídio de Roberto, segundo confirmou o suspeito. No interior do táxi em que ele estava, foi apreendida uma bolsa de viagem com 26 pinos de cocaína, 35 papelotes de mesma substância, 15 buchas de maconha já acondicionadas e prontas para o comércio, além de outra porção de maconha ainda não dividida e nem embalada.

Na ocasião, ainda foram apreendidos a quantia de R$56 em dinheiro e um rádio comunicador capaz de sintonizar a frequência da polícia. Em continuidade às diligências, a equipe de investigadores localizou e apreendeu, na residência de Gudison, uma pistola semi-automática calibre 9mm. O suspeito foi autuado por tráfico de entorpecentes, posse e porte de armas de fogo. Com o mandado de prisão cumprido, ele foi encaminhado ao presídio local. 

De acordo com a PCMG, o trabalho policial terá continuidade para efetuar a prisão do terceiro suspeito.