O clima está tenso no aglomerado Mãe dos Pobres, na região de Venda Nova. Desde a manhã desta terça-feira (26), quando homens encapuzados colocaram fogo em um ônibus da linha 640, policiais fecharam o cerco contra os traficantes da região. Na operação Saturação, que não tem prazo para ser encerrada, foram reforçados patrulhamento e abordagem a veículos e pessoas que trafegam pelo bairro.

Em uma casa localizada no beco São Luiz, nesta terça, foram apreendidos 1,5 kg de maconha, quatro revólveres, cartuchos de balas, uma balança de precisão e um galão usado para transporte de líquidos inflamáveis. Ninguém foi preso.

Os traficantes da região, incomodados com a presença da Polícia Militar, teriam tentado revidar, colocando fogo em um ônibus da linha 615 (Estação Pampulha/Céu Azul B) por volta das 20h de terça. Quando o veículo passava pela rua Radialista Mario Batista, no Céu Azul, o motorista parou para um homem que deu sinal. Em seguida, vários jovens encapuzados entraram no ônibus e mandaram todos descerem, para depois colocar fogo no veículo.

apreensão mãe dos pobres venda nova

Revólveres e drogas foram apreendidas no aglomerado

Os incendiários fugiram em direção ao aglomerado Mãe dos Pobres e o motorista conseguiu apagar as chamas com um extintor de incêndio, contando também com a mangueira de um vizinho. O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, mas acabou sendo dispensado, porque o incêndio foi totalmente apagado pelo motorista e moradores.

"O aglomerado Mãe dos Pobres é um lugar ja conhecido pelo tráfico de drogas. Os traficantes estão preocupados porque a presença dos policiais na região traz prejuízo para eles. Querem pôr fogo em ônibus para desviar a atenção, mas a nossa operação acontecerá por tempo indeterminado", afirma o capitão Bonaccorsi, comandante da companhia de Tático Móvel do 49º Batalhão.

Baleado

A Polícia Militar confirmou que o ônibus queimado no bairro Piratininga, na manhã desta terça, foi uma retaliação de traficantes de drogas a um confronto ocorrido na noite de segunda-feira (25), quando um jovem foi baleado. Por meio de nota, a PM explicou uma viatura que fazia um patrulhamento de rotina no aglomerado quando indivíduos correram ao avistar policiais. 

Segundo a nota, um homem, com a mão na cintura, teria enfrentado um policial que estava ao lado da viatura estacionada no beco São Jorge. O militar deu voz de prisão, mas o homem teria enfrentado o policial com uma joelhada, dando início a uma luta corporal. O tiro teria acontecido momento em que os dois se enfrentavam.

A PM afirma que o homem foi levado para o Hospital Risoleta Neves e lá permanece, sob escolta policial. O homem não estava armado. 

Efeito

Por causa da insegurança na região de Venda Nova e dos casos de ônibus incendiados, as empresas de ônibus de Belo Horizonte decidiram interromper o oferecimento de serviço de transporte durante a madrugada. Entre as 23h desta terça e 5h desta quarta, coletivos não circularam pela cidade. 

Leia também:
Ataque a ônibus pode ter ligação com ação policial; confronto em aglomerado deixou menor ferido
Após novos ataques, ônibus deixam de circular e passageiros ficam sem transporte
Dois ônibus são incendiados em Elói Mendes, no Sul de Minas