A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (8), em Uberaba, no Triangulo Mineiro, com apoio das polícias Militar e Civil de Minas Gerais, a operação “Weber”, com o objetivo de dar cumprimento a 17 mandados judiciais, sendo oito de prisão preventiva e nove de busca e apreensão, relacionados aos recentes ataques a ônibus e a instituições bancárias cometidos na cidade.

O nome da operação é uma alusão ao sociólogo Max Weber, que em um ensaio sobre a definição de Estado atribuiu-lhe o monopólio do exercício da força, ou seja, o Estado tem o direito de recorrer à força sempre que isso for necessário.

De acordo com informações da PF, as investigações apontaram que a ordem de ataques partiu da organização criminosa PCC e que as pessoas que hoje estão sendo presas são integrantes da referida facção e participam ativamente do planejamento dos ataques em Uberaba.

Ainda de acordo com Polícia Federal, todos os suspeitos serão indiciados pelos crimes de integrar organização criminosa, dano qualificado e incêndio, cujas penas podem chegar a 13 anos de prisão.

De acordo a Polícia Militar, até essa quinta-feira (7), 34 pessoas já foram presas em Uberaba suspeitas de participação nos ataques.

Leia mais:

Mais três veículos são incendiados em Minas, e facção deixa pichação no local do ataque
Morre em tiroteio suspeito de liderar ataques a ônibus no Sul de Minas