O prefeito Alexandre Kalil (PHS) visitou as ocupações Izidora, formada pelas ocupações Rosa Leão, Esperança e Vitória, na região de Venda Nova, na manhã deste domingo (2). Ele foi convidado por lideranças dos moradores, que vivem na região, para ajudar no processo de regularização fundiária da região. Acompanhado da mulher Ana Laender, Kalil visitou a região e ainda iria almoçar no local.

Kalil explicou que vai avaliar a situação das 6 mil famílias que moram na região do Izidora e, sem promessas, tentará agilizar a urbanização do local, com pavimentação das vias, redes de eletricidade, água e esgoto, além de coleta de lixo e posto de saúde. O prefeito ponderou que apenas 1% de toda a região é de propriedade da prefeitura. Todas as ações de reitegração de posse, por parte da Administração Municipal, estão retiradas, segundo Kalil.

“A ocupação está resolvida. Aqui ninguém entra. Mas o poder público tem responsabilidades e temos que viabilizar que esse povo tenha asfalto, escolas, posto de saúde. Isso não é promessa. A promessa era que ninguém ia invadir”, afirmou.

O governo do estado tem a proposta para que parte da região do Izidora, especificamente na comunidade Vitória, seja ocupada por prédios constrídos por meio do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). Parte das famílias teria que deixar as ocupações para a construção dos imóveis. Em contrapartida, o governo estadual pagaria um aluguel social de R$ 500 durante dois anos, estimativa da conclusão das obras.

Sobre esse projeto, Kalil foi enfático. “Aqui não tem MCMV. Aqui já tem as famílias. Nas três ocupações, não tem esse projeto”, garantiu o prefeito, que almoçaria na comunidade Vitória. No cardápio, frango caipira, mandioca, abóbora, verduras e frutas colhidas na região pelos moradores.

Charlene Cristiane Egídio, que mora há quatro anos na região do Izidora, afirmou que a principal reivindicação da comunidade é a urbanização e a regularização das três ocupações. “A maior parte dos terrenos está na propriedade de particulares e queremos a intermediação do prefeito para garantir a regularização. O estado é quem autoriza a reintegração de posse, comandando as ações da polícia. Nós, lideranças, queremos conversar com todos os envolvidos para definir, de fato, essa questão que se arrasta há 4 anos. Queremos viver em paz, com todos os direitos da Constituição assegurados”, afirmou Cristiane.

Sobre o MCMV, Cristine disse que a comunidade não é contra a construção das habitações, mas que o projeto não bem-vindo dentro do Izidora. “Náo justifica terem que quebrar casas aqui dentro para a construção dessas habitações. Mas o projeto tem que acontecer, o pode ser em outro lugar”, explicou Cristiane.

Futebol

Sobre a postura do atacante do Atlético Fred, expulso no clássico de ontem por um soco no zagueiro Manoel, do Cruzeiro, Kalil foi questionado se o jogador não mereceria um "puxão de orelha".  “Jogador de futebol você não puxa a orelha não, você enfia a mão no bolso dele”, frisou o prefeito, ex-dirigente do time Alvinegro.