A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), começará a instalar nesta sexta-feira (3) telas com inseticidas no Hospital Infantil João Paulo II (Fhemig), localizado no Santa Efigênia, região Leste da capital. O objetivo é intensificar, cada vez mais, os trabalhos de prevenção ao Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

Segundo a PBH, a equipe de Zoonoses da Prefeitura faz o acompanhamento da área onde o Hospital Infantil João Paulo II está localizado e já realizou uma ação de "pente fino" e controle do vetor em toda a extensão da área hospitalar.

Depois de concluir a instalação neste centro de saúde, os trabalhos irão prosseguir em todas as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital. Em janeiro, a PBH já havia instalado telas no Hospital Eduardo Menezes. Residências também foram contempladas. Conforme a prefeitura, 730 telas foram colcoadas em todas as regiões da capital, priorizando na primeira fase casas de gestantes. 

As telas são confeccionadas com uma malha impregnada com inseticida que mantém o efeito químico por um período médio de dois anos. Mas o resultado também é mecânico, pois, mesmo após o fim da vida útil do inseticida, a tela mantém o ambiente hospitalar livre dos mosquitos.

Leia mais:
2,175 milhões de pessoas tiveram doenças ligadas ao 'Aedes' em 2016
Cientistas mapeiam vírus da zika; estudo é o primeiro passo para neutralizar efeitos da microcefalia
Cidades com febre amarela recebem alerta contra criadouros de Aedes