A Polícia Civil realizou, na quinta-feira (11), a Operação Crates, que contou com mais de um ano de investigações, participação de cerca de 100 policiais, apoio do canil, a prisão de 12 pessoas e o cumprimento de mandado de prisão de outros dois presos, além da apreensão de armas e drogas. O objetivo é combater o tráfico de drogas na região do Vale do Paraíba. 

As investigações começaram após denúncias de que a organização criminosa, comandada por presos, agia com a conivência de agente públicos, que, mediante pagamento, liberavam a entrada de aparelhos celulares, drogas e outras regalias. O delegado Luiz Otavio Fonseca Matosinhos, que deu início aos trabalhos, explicou que "familiares dos presos levavam as drogas, durante as visitas, e eles distribuíam no presídio”.

O delegado Marcus Vinicius Lobo Leite Vieira, que também participou das investigações, falou sobre a ação da quadrilha. “Eles agiam da mesma forma fora do presídio, distribuindo drogas em Brumadinho, Ibirité e Mario Campos. A quadrilha era dividida em três núcleos: os agentes, os ligados aos presos e os fornecedores”, comentou.

Durante a ação foram presos Bruno Antunes Maciel, Luciana Chaves Moreira, Danilo Geraldo Medeiros, José Maria Campanha, Bruno da Silva Alvernaz, o Patrão, e o ex-vereador de Brumadinho, Daniel dos Reis, o Crentinho, além de sete agentes penitenciários. Três pessoas ainda estão foragidas. As investigações continuam no intuito de identificar outros integrantes da quadrilha.