Quatro pessoas foram presas, dentre elas dois agentes penitenciários, nesta sexta-feira (19), em Ipatinga e Santana do Paraíso, no Vale do Aço, suspeitas de envolvimento com tráfico de drogas. O repasse de entorpecente ocorria dentro do Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) de Ipatinga.

Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão, além das prisões. Também foram apreendidos um revólver calibre 38 e munições, além de uma bucha de maconha.

Crime

Segundo o MPMG, as investigações mostram que drogas e aparelhos celulares estariam sendo entregues na unidade prisional, intermediados por agentes de segurança. 

De posse desses celulares, presos continuavam a comandar o tráfico de dentro das unidades, bem como dando ordens para crimes na região do Vale do Aço.

Ainda de acordo com a Promotoria, os agentes cobravam R$ 1.000 para facilitar a entrada dos celulares. A investigação mostrou ainda que os agentes conversavam livremente com os detentos por telefones e por aplicativos de mensagem.

Em caso de uma operação que levasse à apreensão dos aparelhos, essas mensagens e agendas eram apagadas. Os trabalhos foram realizados em conjunto com a Corregedoria da Secretaria de Segurança Pública de Belo Horizonte, acionada pelos promotores de Justiça do Gaeco.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Prisional (SEAP), informou que as providências relativas à investigação criminal cabem às autoridades que têm atribuição para isso, neste caso, a Polícia Civil e o Ministério Público. A Seap explicou, ainda, que adotará todas as medidas necessárias para apuração dos fatos em termos disciplinares para, então, aplicar a sanção correspondente ao ocorrido.